Autoridades aprovam plano de reforma da Rússia contra o doping

esportes
01.03.2021, 15:30:00
Rússia é proibida de competir como nação no atletismo desde 2015 (Foto: Shutterstock/Reprodução)

Autoridades aprovam plano de reforma da Rússia contra o doping

Entre as ações, está o financiamento de mais testes em atletas

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A Rússia tomou uma atitude muito importante para acabar com a longa suspensão imposta ao atletismo do país com a formulação de um plano de reforma contra o doping, que foi autorizada por autoridades da modalidade.

O plano foi escrito por uma comissão criada pela Federação Russa de Atletismo com uma série de "ações imediatas" com prazos em vários pontos neste ano. Isso inclui o financiamento de mais testes em atletas, uma repressão às regiões russas com problemas específicos de doping, encorajando denunciantes e dando aos atletas mais voz sobre como o esporte é executado.

O documento também contém uma admissão detalhada de delitos anteriores, incluindo os da federação, embora não aborde nenhum envolvimento do estado russo em doping. "Uma história de violações extensas e às vezes flagrantes das regras antidoping envolvendo atletas, treinadores e oficiais é reconhecida", afirma o plano. "As raízes de uma extensa cultura de doping e encobrimento surgiram da herança de um doping pós-soviético, cultura que visa vencer por todos os meios, incluindo o doping".

A World Athletics (antes chamada Federação Internacional de Atletismo) não definiu uma data para readmitir totalmente a equipe russa de atletismo às competições, que está suspensa desde 2015. O progresso com a reforma será analisado por especialistas estrangeiros.

"Este não é o fim, mas o início de uma longa jornada, com uma incrível quantidade de trabalho que a Federação Russa de Atletismo deverá fazer para reconstruir a confiança", disse o britânico Sebastian Coe, presidente da World Athletics. "Os especialistas internacionais acreditam que a equipe implementada será capaz de cumprir os objetivos apontados".

A aprovação não veio a tempo de a Rússia enviar atletas para o campeonato europeu, na Polônia. A World Athletics disse que seu conselho vai discutir em 17 e 18 de março se deve reiniciar a emissão de isenções individuais para os atletas poderem competir em eventos internacionais como "neutro autorizado".

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas