Aventuras pela Amazônia viram exposição Esculturas da Selva

entretenimento
10.07.2019, 06:00:00
(Foto: Célia Santos/Divulgação)

Aventuras pela Amazônia viram exposição Esculturas da Selva

Será a primeira mostra de Célia Santos, fotógrafa oficial de Daniela Mercury

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O nome dela é conhecido dos fãs de Daniela Mercury - afinal, é a fotógrafa oficial da cantora há mais de uma década, desde 2007. Mas o olhar de Célia Santos vai muito além do mundo musical - e uma grande paixão da profissional, finalmente, poderá ser vista: ela inaugurará sua primeira mostra, batizada de Esculturas da Selva, nesta quinta-feira (11), na loja Luminata (Alameda das Espatódeas, 137A, Caminho das Árvores).

“As pessoas sempre me falavam para fazer uma exposição, que meu trabalho merecia isso... Mas eu preferia deixar acumular para ficar mais interessante, mais íntimo”, fala.

E assim será: nessa estreia, os registros são relacionados a povos indígenas - quase todos, feitos na Amazônia.

“É um tema que fala muito de mim. Minha avó é descendente de índios e, quando chego nas aldeias, parece que estou em casa. A simplicidade deles é incrível. Há uma felicidade nas coisas simples que a gente, nas cidades grandes, não percebe. Quando chove, por exemplo, ficam em uma alegria...”, diz Célia.

(Foto: Célia Santos/Divulgação)

Ao todo, 25 fotografias compõem a mostra. “Elas foram feitas de três anos para cá. Passei oito anos registrando a Caravana do Esporte e a Caravana das Artes - que tem o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) como um dos parceiros -, e a Amazônia me comoveu. Muita gente vai para lá só pelo lado do turismo, mas há muito mais que isso”, afirma.

O nome do projeto, inclusive, Esculturas da Selva, vem porque “tudo na selva é uma escultura viva”, como define Célia.

(Foto: Célia Santos/Divulgação)

“Muitas vezes, os cliques exigem paciência - por exemplo, fotografar um boto pulando da água. Mas as cenas também acontecem na minha frente, como um grupo de crianças andando com macacos como se fossem cachorros de estimação - e ainda tinha gente com o bicho nas costas, parecendo que eram uma mochila! São cenas que mexem com emoções - e, assim, sai o melhor de mim”, garante.

Estímulo
Para fazer essa exposição de estreia, Célia contou com uma ajudinha extra. Afinal, foi a empresária Magali Sant’Ana que a convenceu a ter sua primeira mostra. “Ela me falou ‘você está perdendo tempo com todo esse material!’. Se interessou e me incentivou”, lembra a fotógrafa. 

“Eu trabalho há 30 anos com arquitetura, faço sempre exposições na loja (Luminata). E me tocou esse olhar de Célia sobre a simplicidade. Falei ‘vamos fazer’ e ela comprou a ideia”, recorda Magali.

A abertura, nesta quinta-feira (11), será para convidados - mas os cliques poderão ser conferidos pelo público geral a partir de sexta-feira (12), das 9 às 19h, até o dia 12 de agosto. Depois, a dupla tem planos de viajar com o projeto. “Estou querendo levar, ainda este ano, para São Paulo, que é minha cidade natal”, adianta Célia.

Célia inaugurará sua primeira exposição
(Foto: Divulgação)

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas