Bahia terá o retorno do seu artilheiro para enfrentar o Santos

e.c. bahia
22.07.2017, 20:15:00
Atualizado: 22.07.2017, 20:25:38

Bahia terá o retorno do seu artilheiro para enfrentar o Santos

Volante, Renê Júnior tem aparecido bem nos desarmes, sua função principal, e também no ataque: é autor de três gols na Série A

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O duelo deste domingo (23) contra o Santos no Pacaembu é dos mais difíceis e ninguém duvida disso, mas de uma coisa a torcida tricolor pode ter certeza: vai ter desarme no meio-campo. É que o ‘cachorro louco’, como ele mesmo gosta de ser chamado, estará de volta ao time depois de cumprir suspensão contra o Atlético-MG.

Renê já foi jogador do Santos (Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia)

Mas o curioso é que Renê Júnior não é destaque apenas na proteção da área, teoricamente a sua função principal em campo. O volante tem aparecido muito bem no ataque, e hoje é também esperança de gols do Esquadrão. O camisa 23 é o artilheiro da equipe no Brasileirão, com três gols.

E olha que não foram gols quaisquer. A pintura contra o Avaí – quando tabelou com Gustavo Ferrareis na entrada da área e deu um chapéu de cabeça no marcador – ainda está na mente dos tricolores, mas não dá para esquecer o primeiro da tríade, contra o Atlético-GO.

Renê abriu o placar daquele triunfo por 3x0 aplicando um lindo drible na entrada da área, protegendo com o corpo e chutando na saída do goleiro, já quase sem ângulo.

Neste domingo, Renê encontrará a sua antiga equipe, a qual defendeu em 2013. E já mandou o recado: não está ‘nem aí’ para respeitar a antiga camisa. “Joguei lá, é verdade, tenho um carinho muito grande pelo Santos, mas foi como eu falei contra a Ponte Preta: se fizer gol vou comemorar, sim. Hoje visto a camisa do Bahia e vou dar meu máximo para ajudar o time”.

O companheiro de Renê no meio-campo será Juninho, que voltou a ser titular contra o Atlético-MG. A outra alternativa do técnico Jorginho seria Edson, recuperado de uma lesão num joelho. O volante, porém, não joga desde o dia 15 de junho, contra o Coritiba.

A confiança do torcedor podia ser ainda maior, se o atacante Rodrigão não tivesse sido vetado da terceira partida seguida. Ele chegou a ser relacionado para o duelo de hoje, mas voltou a sentir dores por conta de uma luxação no dedão de um pé e acabou cortado. Sem o camisa 39, a tendência é que João Paulo seja mantido como centroavante. 

Na zaga, Lucas Fonseca, que teve um efeito suspensivo concedido a seu favor, jogará normalmente. Ele foi punido pelo STJD com duas partidas de gancho por conta da expulsão no duelo contra o Flamengo.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas