Bahia vai ter que fazer "rodízio de gringos" no Brasileirão 

e.c. bahia
07.09.2021, 13:45:00
Atualizado: 07.09.2021, 17:48:20
Com retorno de Ramírez cada vez mais próximo, paraguaio Oscar Ruiz deve perde espaço no tricolor (Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia)

Bahia vai ter que fazer "rodízio de gringos" no Brasileirão 

Com chegada do argentino Isnaldo, tricolor passa a ter seis estrangeiros no elenco

O elenco do Bahia nunca foi tão "internacional" como em 2021. Com a contratação do atacante argentino Eugenio Isnaldo, oficializado pelo tricolor nesta terça-feira (7), o clube quebrou o recorde de jogadores estrangeiros e passa a contar agora com seis atletas de outros países. 

Além de Isnaldo, fazem parte do plantel os também argentinos Germán Conti e Lucas Mugni, os colombianos Hugo Rodallega e Índio Ramírez e o paraguaio Oscar Ruiz. 

A chegada do novo atacante representa uma boa notícia para o técnico  Diego Dabove, já que o elenco carece de peças no setor ofensivo, mas vai se tornar um quebra-cabeças para o treinador no futuro. 

Pelo regulamento do Campeonato Brasileiro, os clubes podem relacionar no máximo cinco jogadores estrangeiros por partida, sejam eles titulares ou reservas. Assim, o Bahia já sabe que terá que deixar pelo menos um gringo fora de cada jogo. 

"Art. 42 – Os Clubes poderão relacionar nas súmulas de cada partida até 5 (cinco) atletas estrangeiros, excepcionados os registrados como refugiados que, para efeitos das competições coordenadas pela CBF, equiparam-se aos atletas nacionais, sem nenhuma restrição de direitos", diz trecho do regulamento do Brasileirão. 

No momento isso não deve ser um grande problema para Dabove. Dos seis estrangeiros, o meia Índio Ramírez está em fase de recuperação após passar por cirurgia no joelho. Ele voltou a trabalhar com o grupo depois de quase sete meses e ainda deve demorar algumas semanas para ficar à disposição do treinador. 

Paraguaio na mira
Dos quatro estrangeiros que estão disponíveis atualmente, Lucas Mugni e Germán Conti são titulares. Já o atacante Rodallega garantiu o seu espaço ao marcar os quatros gols do Esquadrão no triunfo por 4x2 sobre o Fortaleza, na rodada passada da Série A. 

Sendo assim, quem corre o maior risco de perder um lugar no banco quando Ramírez e Isnaldo estiverem prontos para atuar é o paraguaio Oscar Ruiz. Contratado em março, Ruiz ainda não conseguiu decolar com a camisa do Bahia. Pelo contrário. 

O gol relâmpago na estreia foi o único que ele anotou em 29 jogos pelo clube. Para piorar, Ruiz ganhou a concorrência do próprio Isnaldo e de Marcelo Cirino, outro reforço anunciado nesta terça-feira e que atua pelo lado esquerdo do ataque. 

Enquanto não convive com o excesso de estrangeiros, o Bahia segue se preparando para o próximo compromisso pelo Brasileirão. No sábado (11), encara o Santos, às 21h, na Vila Belmiro, pela 20ª rodada, que abre o returno da competição. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas