Baianas de acarajé são tema de exposição fotográfica

entretenimento
06.11.2019, 05:55:00
A mostra Baianas: Iê Acarajé, Iê Abará, que será aberta amanhã, reúne 35 imagens feitas por 15 fotógrafas (Márcia Pinheiro/Rejane Alice)

Baianas de acarajé são tema de exposição fotográfica

Baianas: Iê Acarajé, Iê Abará será exibida na Fundação Gregório de Mattos a partir desta sexta (8)

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Uma das grande referências culturais da Bahia, a  baiana de acarajé é o tema da mostra Baianas: Iê Acarajé, Iê Abará, que será aberta ao público nesta sexta (8), na Fundação Gregório de Mattos. Com a proposta de exaltar a importância das baianas, a exposição fotográfica reúne 35 imagens registradas por 15 fotógrafas. Elas  capturam não só as mulheres que atuam nessa profissão, mas também os elementos que compõe a configuração dessa personagem cultural, como as vestimentas, adereços e, claro, os quitutes do tabuleiro. 

“Apesar de focarmos na figura da mulher, há o registro do acarajé e dos outros quitutes, que é o que torna o ofício possível”, afirma a designer e curadora da exposição, Júlia Bitencourt, 28 anos. Estes detalhes, destaca, estão representados tanto por um olhar simbólico quanto identitário de Ana Kruschewsky, Ivana Coutinho, Isolda Macedo, Janaina Saraceno, Jane Olliosi, Lu Brito, Magali Abreu, Márcia Pinheiro, Marina Lordelo, Marta Suzi, Nayara Rangel, Nilvane Machado, Rejane Alice, Sandra Coelho e Vânia Viana.

Imagens capturam detalhes da vestimenta e dos adereços (Foto: Nilvane Machado)

Registrado, produzido e montado apenas por mulheres, a exposição se diferencia justamente pelo olhar mais próximo do universo fotografado.  “É como se cada uma enxergasse algo na outra. O público vai perceber a figura representada de uma forma mais peculiar”, acredita.

E a data para promover essa montagem não poderia ser outra. Além da programação cultural do novembro negro, o Dia da Baiana, que se comemora em 25 de novembro, também é um bom motivo para a homenagem. No dia 23, acontece um encontro no Teatro Gregório de Mattos entre público, fotógrafas e as personagens registradas, para debater a importância da mostra e das baianas para a cultura da Bahia.

Serviço:
O quê: Exposição Baianas: Iê Acarajé, Iê Abará
Quando: Abertura quinta (7), às 18h, para convidados. Abertura para o público sexta (8) às 14h. Visitação gratuita de terça a domingo, das 14h às 18h. 
Onde: Fundação Gregório de Mattos (Centro)
Entrada gratuita

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas