Balotelli volta a sofrer com racismo durante jogo do Italiano

esportes
05.01.2020, 15:37:00
Atualizado: 05.01.2020, 15:43:01
Balotelli voltou a sofrer com racismo em seu país (Foto: Miguel Medina/AFP)

Balotelli volta a sofrer com racismo durante jogo do Italiano

Atacante já foi vítima até do dono de seu atual clube nesta temporada

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Com dois gols do artilheiro Ciro Immobile, a Lazio derrotou o Brescia, neste domingo (5), por 2x1, de virada, no campo do adversário, na abertura da 18.ª rodada do Campeonato Italiano. Contudo, a apresentação dos centroavantes italianos não foi o tema principal da peleja. Antes fosse, inclusive: isso porque o jogo precisou ser paralisado aos 30 minutos da primeira etapa por causa de cantos racistas vindos da torcida visitante contra o jogador Mario Balotelli.

O atacante italiano já foi vítima de racismo em outras oportunidades nesta temporada. O primeiro caso aconteceu no jogo contra o Hellas Verona, quando ameaçou sair de campo devido aos insultos que lhe agrediam. Depois disso, Balotelli ainda ouviu do dono do Brescia, Massimo Cellino, afirmar que ele 'é negro, está trabalhando para se clarear'.

Para completar, a torcida de seu time ainda publicou um texto criticando a revolta do atacante após sofrer com o racismo da torcida do Hellas Verona. Na nota, os ultras do time que o atacante italiano defende afirmaram que ele "deveria ter dado lugar a alguém menos nervoso".

"Se não estava preparado psicologicamente para encarar os torcedores do Verona e - principalmente - em um jogo tão importante quanto o de domingo, em que uma cidade jogou a salvação de um treinador - entre os mais amados - (Balotelli) deveria ter dito e dado lugar a alguém menos... nervoso do que ele; ninguém ficaria chateado", afirmou a nota.

Após esse caso, o Hellas Verona precisou jogar de portões parcialmente fechados, mas a polêmica ainda foi além e chegou até o prefeito de Verona, cidade da Itália, negou que Balotelli tenha sido vítima de racismo e que, por conta desse caso, "uma torcida e uma cidade estão sendo expostos à vergonha".

Balotelli não foi a única vítima de racismo dentro dos estádios italianos nesta temporada. Outros nomes como Romelu Lukaku, da Inter de Milão; Franck Kessié, do Milan; e o brasileiro Henrique Dalbert também foram vítimas de cânticos racistas. Em nenhum dos casos o jogo foi cancelado, como a Fifa orienta. Houve, no máximo, paralisações, mas as partidas seguiram normalmente.

O jogo
De volta à partida entre Brescia e Lazio, o resultado levou a equipe de Roma aos 39 pontos e continua sua perseguição às líderes Juventus e Internazionale, que somam 42 pontos cada e jogam nesta segunda-feira. O Brescia, com 14 pontos, é o 18º colocado, na zona de rebaixamento, apenas à frente de SPAL e Genoa.

O Brescia saiu na frente do placar com um belo gol de Mario Balotelli. Lançado, o atacante ganhou do zagueiro no jogo de corpo e bateu cruzado de pé esquerdo para fazer 1x0, aos 18 minutos do primeiro tempo.

Aos 30 minutos, Balotelli informou o juiz Gianluca Manganiello que estava ouvindo cantos racistas vindos da torcida adversária. O jogo ficou parado por alguns instantes até que as manifestações fossem paralisadas. O técnico Simone Inzaghi, do time romano, chegou a pedir aos torcedores para que parassem com os atos de discriminação.

O empate da Lazio veio ainda no primeiro tempo por intermédio de uma cobrança de pênalti. Immobile bateu bem no canto direito e deslocou o goleiro Jesse Joronen, que caiu no canto esquerdo. Foi o 20º gol do artilheiro no campeonato.

Com 64% de posse de bola e 19 chutes a gol, a Lazio só foi conseguir o gol da vitória aos 46 minutos da etapa final. Bola lançada na área, mais uma vez Immobile mostrou todo o seu poder de finalização, ao bater rápido e colocado para fazer o segundo gol dos visitantes.

*com supervisão do subeditor Ivan Dias Marques

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas