Bell quer reencontrar o sorriso dos foliões no Carnasal

entretenimento
16.04.2022, 16:18:00
Bell em seu estúdio, no sábado (16), antes de viajar se apresentar em Maceió (fotos: Ana Lúcia Albuquerque/CORREIO)

Bell quer reencontrar o sorriso dos foliões no Carnasal

Cantor se apresenta no sábado (23), na festa que acontece no Wet a partr de quinta (21), com três dias de show

Tanto quanto qualquer folião, Bell Marques sentiu falta do Carnaval. Mas ele diz que, de tudo que mais tem saudades, é do sorriso de seus fãs. "Estamos em um momento de felicidade incrível", disse, referindo-se à retomada da vida após a fase mais aguda da pandemia. "Quando você olha para uma pessoa de máscara, não vê o sorriso dela. E poder ver as pessoas sorrindo de novo é uma sensação maravilhosa. Poder olhar a felicidade do outro é é uma coisa muito boa que a vida nos deu".

Por isso, Bell diz que não vê a hora de animar o público de Salvador no Carnasal, que acontece de 21 a 23 de abril (quinta a sábado) no Wet.  Ele se canta no último dia, quando também se apresentam Banda Eva, Psirico e Olodum. Os três dias de festa terão ainda Saulo, Carlinhos Brown, Léo Santana e outras estrelas do Carnaval baiano.

Se no Carnaval o público está acostumado a ver Bell num trio elétrico, desta vez o músico vai estar num pranchão, que o deixa mais perto dos fãs. E ele gosta dessa ideia: "Gosto muito do pranchão. Ele não substitui o trio elétrico num Carnaval, porque no Carnaval a quantidade de pessoas é muito grande e ele não suporta o som. Mas no formato indoor, ele é muito melhor que o trio elétrico, porque possibilita você estar perto do público. Gosto de pegar nas pessoas, de falar com as pessoas", revela Bell.

Quem for ao Carnasal, vai ter a chance de ouvir muitos sucessos do passado, que encantaram os foliões baianos na voz de Bell. É que o artista vai apresentar, além de seus sucessos mais recentes, um repertório que ele chama de Bell Marques e Suas Antigas. "Quero muito mostrar esse repertório porque tem a ver com minha terra, meu público".

Bell já está retomando sua agenda de shows e, segundo ele, até janeiro do ano que vem, já tem muita apresentação dele garantida. Logo depois do encotnro que teve com a imprensa neste sábado, ele ia pegar um avião para Maceió, para se apresentar em um trio, nas ruas. Desde o início da pandemia, Bell não cantava em trio num espaço aberto. 

Ele diz ter sentido muita falta não apenas de estar no trio, mas de toda a movimentação que o Carnaval implica.

"Eu nasci em cima de um trio elétrico. [ficar sem Carnaval] Foi uma sensação de tristeza incrível. Mas não são apenas os cinco dias em que me apresento, porque nos 30 dias antes e 30 dias depois, há uma movimentação muito grande na mimha empresa e na minha casa".

E ele garante que não é só o dinheiro que o motiva a tocar: "Não funciona só por dinheiro. Dinheiro é bom, claro que você quer receber. Mas não é só isso. Tem que gostar, porque o dinheiro é consequência. Mas, nós, artistas, vamos para um trio porque gostamos daquilo".

E, se depender dele, o Carnasal, que está acontecendeo pela primeira vez, pode se tornar um evento permanente da cidade. "Salvador pode ter uma micareta ou até fazer um evento como esse dentro do Carnaval. Há muita força pra isso, são muitos artistas bacanas e isso atrai turistas. Se cidades menores podem atrair turistas em suas micaretas, por que não Salvador, que tem uma estrutura muito grande?".

PROGRAMAÇÃO
Quinta (21) – Saulo / Carlinhos Brown / Parangolé / Jau / Lincoln / Babado Novo
Sexta (22) – Léo Santana / Durval / Timbalada / Rafa e Pipo / Tuca Fernandes / Filhos de Jorge
Sábado (23) – Bell Marques / Banda Eva / Psirico / Peixe / Olodum

Vendas: www.boratickets.com.br   
 

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas