Bilionário que comprou Newcastle teria clube brasileiro como alvo

esportes
14.10.2021, 15:57:00
Atualizado: 14.10.2021, 17:30:51
Mohammed bin Salman estaria de olho em um clube do Brasil (AFP)

Bilionário que comprou Newcastle teria clube brasileiro como alvo

Fundo da Arábia Saudita também está de olho na Inter de Milão e Olympique de Marselha, diz jornal

O Newcastle não deve ser único clube do príncipe Mohammed bin Salman. Após concluir a compra do time inglês, o Fundo de Investimentos Públicos da Arábia Saudita (PIF) estaria de olho em mais três equipes ao redor do mundo, incluindo uma brasileira.

De acordo com o jornal italiano Libero Quotidiano, o PIF já definiu dois alvos, ambos da Europa: Inter de Milão, da Itália, e Olympique de Marseille, da França. O terceiro, que seria do Brasil, ainda não foi decidido.

Ainda não há previsão para que as negociações com os clubes e seus atuais donos sejam iniciadas. A Inter, porém, deve ser a primeira a receber a oferta, já que a empresa chinesa Suning, que controla o clube, deseja vendê-lo. 

Segundo o jornal As, o fundo já se encontrou com o clube italiano, e um preço já teria sido estabelecido para uma possibilidade de negócio: 1 bilhão de euros (R$ 6,4 bilhões). O valor representa R$ 4,2 bilhões a mais do que o PIF desembolsou para comprar o Newcastle - 300 milhões de euros, cerca de R$ 2,2 bilhões.

Nos últimos meses, a Inter de Milão vem sofrendo dificuldades financeiras. Por causa disso, o clube teve que se desfazer de importantes peças, como Romelu Lukaku, que foi para o Chelsea, e Achraf Hakimi, que saiu para jogar no Paris Saint-Germain. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas