Bob Dylan interpreta clássicos da música americana no disco Triplicate

Vida
29.05.2017, 13:40:00

Bob Dylan interpreta clássicos da música americana no disco Triplicate

Primeiro disco triplo da carreira de Bob Dylan, Triplicate (Sony Music), apresenta 30 gravações de standards

Há muito que conhecíamos Bob Dylan "o rebelde", Dylan "o inovador" e Dylan "o cantor de protesto". Recentemente passamos a conhecer, também, Dylan, "o crooner admirador de Sinatra". Agora, na mesma trilha, Bob Dylan, 76 anos, aprofunda a sua face de intérprete de clássicos americanos em seu melhor trabalho dessa fase.

Primeiro disco triplo da carreira de Bob Dylan, Triplicate (Sony Music), apresenta 30 gravações de standards e cada álbum, com 10 canções reunidas por temas, tem um título:  Til The Sung Goes Down (1), Devil Dolls (2) e Comin’ Home Late (3).

Bob Dylan interpreta clássicos da música americana em Triplicate (Foto: Divulgação)


Se Shadowns in The Night (2015) podia ser encarado como uma espécie de experiência em territórios musicais estranhos ao artista (e Fallen Angels/2016 uma continuação desse experimentalismo), Triplicate sugere que Bob Dylan, que nunca foi um grande cantor com sua voz roufenha e de dicção difícil, anda gostando de ser apenas intérprete.

Aliás, Shadows in The Night e Fallen Angels foram indicados ao Grammy de melhor álbum vocal pop, o que deve ter aumentado, digamos, a confiança do velho bardo como intérprete de standards - e, verdade seja dita, para os seus padrões, ele está cantando melhor.

Provocador
Mas talvez seja recomendável encararmos essa fase de Dylan como mais uma demonstração do seu conhecido sarcasmo, uma provocação. Quanto mais seu talento literário como letrista de folk rock é reconhecido, sendo agraciado até com o prêmio Nobel, mais Dylan lança álbuns de intérprete e regrava muitas das canções imortalizadas por Frank Sinatra (1915-1998), The Voice, o maior de todos. E não há como comparar as vozes de Sinatra e Dylan, claro.

No repertório alheio das 30 canções de Triplicate, o bardo convoca um dream team dos anos dourados do songbook americano -  aí estão Irving Berlin, Jerome Kern, Harold Arlen, Sammy Cahn, Jimmy van Heusen (muitas vezes), Cy Coleman, Joagy Carmichael, Johnny Mercer, Rodgers & Hammerstein.

LIVRO TRADUZ 200 CANÇÕES DE BOB DYLAN, PRÊMIO NOBEL DE LITERATURA DE 2016

São clássicos que estão no imaginário de milhões de pessoas mundo afora: Stormy Weather, My One and Only Love, As Time Goes By (a canção do filme Casablanca), How Deep Is the Ocean, The Best Is yet to Come, These Foolish Things, Once Upon A Time ou You Go to My Head, para só citar as mais óbvias. E  exceto ou outra interpretação, como As Time Goes By, que ele assassina, não há como não ter simpatia por esse crooner esquisito de Sinatra.

***

Em tempos de desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informações nas quais você pode confiar. E para isso precisamos de uma equipe de colaboradores e jornalistas apurando os fatos e se dedicando a entregar conteúdo de qualidade e feito na Bahia. Já pensou que você além de se manter informado com conteúdo confiável, ainda pode apoiar o que é produzido pelo jornalismo profissional baiano? E melhor, custa muito pouco. Assine o jornal.


Relacionadas