Brasil conquista o bronze por equipes do Mundial de judô

esportes
01.09.2019, 15:40:12
Atualizado: 01.09.2019, 15:43:56
Maria Portela durante a luta contra a mongol Gankhaich Bold (Charly Triballeau / AFP)

Brasil conquista o bronze por equipes do Mundial de judô

Competição terminou neste domingo (1º), e seleção brasileira consegue apenas três medalhas

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.


O Brasil fechou a sua participação no Mundial de Judô, que foi realizado em Tóquio, no Japão, de maneira positiva. Neste domingo (1º), último dia da competição no ginásio Nippon Budokan, a seleção brasileira venceu a Mongólia e faturou a medalha de bronze na disputa por equipes mistas, que está no programa dos Jogos Olímpicos de 2020.

Em sua trajetória até mais um pódio, o Brasil derrotou a Alemanha de virada por 4 a 3 na primeira disputa, superou o Azerbaijão por 4 a 1 na sequência, mas foi derrotado pelo Japão nas semifinais por 4 a 0. Na disputa pelo bronze, fez 4 a 2 na Mongólia e garantiu a medalha, fechando o Mundial com três pódios.

As outras duas medalhas conquistadas na competição também foram de bronze. Uma com a campeã olímpica Rafaela Silva (57kg) e a outra com a bicampeã mundial Mayra Aguiar (78kg).

Além do Brasil, a Rússia também saiu com um bronze por equipes mistas ao derrotar o Azerbaijão na briga pelo terceiro lugar. O anfitrião Japão foi o grande campeão e a França, derrotada pelos japoneses por 4 a 2 em uma final em alto nível, ficou com a prata.

Ao contrário do que acontece na chave individual, na disputa por equipes mistas os atletas entram todos juntos na área de competição. São realizados seis confrontos - nas categorias 73kg, 90kg e +90kg entre os homens; e 57kg, 70kg, +70kg entre as mulheres. Em caso de empate, há um sorteio que define um atleta de cada país se enfrentando já na prorrogação.

Caminho do bronze
E o Brasil teve de se superar logo no começo da competição, uma vez que, representado por Maria Portela, Rafael Macedo e Maria Suelen Altheman, perdeu suas três primeiras lutas contra a Alemanha. A remontada veio com vitórias de Rafael Silva, Rafaela Silva e Eduardo Barbosa, este que só lutou o torneio por equipes. O sorteio ajudou o time verde amarelo, que avançou à próxima fase pois a categoria escolhida foi a 73kg masculina, cujo atleta alemão a lutar seria Anthony Zingg. No entanto, ele havia sido desclassificado por um ataque irregular no embate contra Eduardo e não pôde lutar.

Nas quartas de final, menos drama e mais consistência para derrotar o Azerbaijão. O 81kg Eduardo Yudy foi escolhido para a luta do peso 90kg no lugar de Rafael Macedo e venceu Mammadali Mehdiyev por ippon para abrir a contagem brasileira, que foi ampliada com o triunfo de Maria Suelen sobre Iryna Kindzerska. Ushangi Kokauri descontou para os rivais no peso pesado vencendo Rafael Silva nas punições, mas Rafaela Silva, com ippon em Gultaj Mammadaliyeva, e Eduardo Barbosa, com outro ippon sobre Nijat Shikhalizada, definiram a vitória.

Na sequência, os brasileiros foram atropelados pelos japoneses, que apostou em três atletas campeões mundiais - Tsukasa Yoshida, Soichi Hashimoto e Shori Hamada - e conseguiu vencer todas as suas lutas. Na briga pelo bronze, Rafael Silva, Maria Portela, Rafaela Silva e Maria Suelen Altheman triunfaram e ajudaram o Brasil a fazer 4 a 2 na Mongólia e faturar o bronze, segunda medalha do País na disputa por equipes mistas em Mundiais - havia ganhado a prata em Budapeste, na Hungria, em 2017.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas
Correio.play
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/live-discute-cobertura-e-influencia-da-imprensa-na-guerra-da-independencia/
Assista à live-aula especial sobre o Dois de Julho com Nelson Cadena
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/neto-ocupacao-em-84-eu-abro-tudo-colapsa-o-sistema-e-o-culpado-vai-ser-quem/
Prefeito de Salvador diz que manterá restrições para preservar vidas e garante não temer pressões: ‘Só vamos abrir o comércio quando for possível’
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/whatsapp-anuncia-figurinhas-animadas-e-video-chamadas-com-ate-8-pessoas/
Modo escuro também está entre as novidades; veja vídeo e saiba mais detalhes
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/imprensa-e-dois-de-julho-sera-tema-de-segunda-live-do-correio-sobre-independencia/
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/depois-de-madrugada-de-terror-pm-instala-base-movel-em-sussuarana/
Base vai funcionar 24 horas com 60 policiais; Nordeste de Amaralina e Engenho Velho da Federação também terão
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/serie-baiana-que-revela-salvador-sombria-chega-ao-amazon-prime/
Produção tem roteiro e direção de Julia Ferreira, baiana que estudou cinema em Londres e Madri
Ler Mais
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/malu-comenta-live-de-daniela-no-dia-do-orgulho-lgbtq-unica-e-iconica/
https://www.correio24horas.com.br/noticia/nid/obras-dos-trechos-dois-e-tres-do-brt-sao-autorizadas-a-comecar/
Trecho um está com 75% das obras concluídas e precisão de entrega é para dezembro
Ler Mais