Brasil ganha ouro na ginástica por equipes no Pan-Americano

esportes
29.07.2019, 09:19:00
Atualizado: 29.07.2019, 10:35:52
Da esquerda para a direita: Arthur Zanetti, Luis Porto, Caio Souza, Francisco Barretto e Arthur Mariano (Luis Robayo / AFP)

Brasil ganha ouro na ginástica por equipes no Pan-Americano

Foi a 13ª vez que o país subiu no pódio em Lima, no Peru

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A quarta medalha dourada da delegação brasileira nos Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru, foi conquistada pela equipe masculina de ginástica artística, liderada por Arthur Zanetti, especialista nas argolas. 

O grande feito de Zanetti, Arthur Nory, Francisco Barreto, Caio Souza e Luis Porto melhora o pódio conquistado pela equipe masculina da ginástica artística quatro anos antes, quando o time do Brasil ficou com a prata. A pontuação foi de 250,450 pontos na soma dos seis aparelhos, ficando à frente dos Estados Unidos e Canadá, pela ordem.

No Pan de Guadalajara, em 2011, Zanetti e Barreto participaram da equipe que foi campeã naquela edição. Quatro anos depois, estavam na medalha de prata de 2015, em Toronto. Agora se tornaram bicampeões pan-americanos. A decisão saiu apenas na última nota dos Estados Unidos, depois de muito suspense. Não foi suficiente para o time norte-americano virar.

O Brasil também conquistou vagas em 12 finais por aparelhos e individuais. No solo, Zanetti e Nory vão representar o país; no cavalo estará apenas Barreto; nas argolas, Zanetti e Caio Souza; no salto, Luis Porto; nas paralelas, Caio Souza e Nory; na barra fixa, Nory e Barreto; e no individual geral, Nory e Caio Souza.

A conquista da ginástica marcou o quarto ouro brasileiro no Pan, sendo a 13ª medalha do país na competição até agora. Assim, o Brasil termina o dia na quarta colocação no quadro de medalhas. Os Estados Unidos lideram, com 24 pódios, sendo nove de ouro. O México aparece na segunda posição, com 22 medalhas, sendo oito douradas. A delegação colombiana figura no terceiro posto, com 14 medalhas no total, sendo quatro de ouro.


***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas