Brasil Ride reúne 2.370 ciclistas de 23 países no Extremo Sul

esportes
20.10.2019, 05:00:00
Manuel Fumic e Henrique Avancini na prova de 2018, em que foram campeões (Hudson Malta/Brasil Ride)

Brasil Ride reúne 2.370 ciclistas de 23 países no Extremo Sul

10ª edição da ultramaratona de mountain bike começa neste domingo (20), em Arraial d'Ajuda

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O Extremo Sul da Bahia será desbravado por 2.370 ciclistas a partir deste domingo (20), quando o Brasil Ride começa a ser disputado. A 10ª edição da principal ultramaratona de mountain bike das Américas e segunda do mundo terá como sedes Arraial d'Ajuda, em Porto Seguro, e Guaratinga, até sábado (26), quando os campeões serão conhecidos. 

A principal categoria, a "stage race", reúne 570 atletas de elite do Brasil e de outros 22 países, incluindo dois campeões olímpicos e dois mundiais. São sete etapas, uma por dia, percorridas em duplas. Ao todo, 600km serão pedalados em cenários como as praias de Arraial d'Ajuda e Trancoso, além das formações rochosas de Guaratinga. A largada e chegada acontecem em Arraial.

A grandiosidade do evento se mede pelas distâncias percorridas, mas a estrutura também chama atenção. O acampamento para abrigar os atletas durante a semana é montado em Guaratinga e tem mais de 1.000 barracas, 50 banheiros, 40 chuveiros, além de uma carreta UTI médica. Há também 28 pontos de hidratação, 14 de suporte mecânico, sete lava-bikes, duas cozinhas, dois restaurantes e dois lounges. Um helicóptero fica à disposição para qualquer eventualidade.

Campeão em 2013, 2017 e 2018, o brasileiro Henrique Avancini busca o tetracampeonato, sendo o tri consecutivo. "Sempre há uma expectativa maior em cima do atual campeão. Geralmente os adversários estudam o que os campeões fizeram no ano anterior e tentam neutralizar isso para a próxima edição. O interessante é que em 2017 eu também venci, então consegui defender o título de 2017 em 2018 e o objetivo é fazer o mesmo na edição de 2019, mas acredito que será uma missão complicada de realizar, justamente por trazer mais atenção", analisa o ciclista ,natural de Petrópolis, no Rio de Janeiro. 

Em 2017, Avancini venceu ao lado do tcheco Jiri Novak, que escolheu aquela prova para se aposentar. No ano passado, o título foi comemorado ao lado do alemão Manuel Fumic, mesmo parceiro deste ano. "A gente chega bem mais uma vez. Nós treinamos juntos durante duas semanas no Japão, então tivemos um pouco mais de contato perto da competição, o que é extremamente importante para o entrosamento da dupla. Chegamos numa forma boa", comenta Avancini, que ficou em 5º lugar no evento-teste para a Olimpíada de Tóquio-2020, realizado no início do mês. 

Avancini faz parte de um pelotão recheado de estrelas do mountain bike mundial. Campeão mundial na categoria cross country maratona (prova não olímpica) no ano passado, ele divide o favoritismo dessa 10ª edição, por exemplo, com campeões olímpicos, como o tcheco Jaroslav Kulhavy e o holandês Bart Brentjense, e com o português Tiago Ferreira, campeão mundial. O russo Alexey Medvedev e o tcheco Kristian Hynek têm o título europeu no currículo.

"Essa edição provavelmente é a de maior nível de todos os anos. Já tivemos outras edições em que tínhamos adversários do melhor nível mundial, mas acho que este ano a gente concentra a maior quantidade de atletas desse nível. Acho que a disputa vai ser mais acirrada entre mais times nesta edição", avalia Henrique Avancini.

Feminino
A ultramaratona do Brasil Ride garante às campeãs 120 pontos no ranking olímpico e a disputa feminina também tem nomes fortes.

Três vezes campeã brasileira de mountain bike em 2019 - nas categorias cross country olímpico (XCO), maratona (XCM) e short track (XCT) -, Letícia Cândido vai competir ao lado de Hercília Najara. Bicampeã da Brasil Ride, Raiza Goulão disputará ao lado da colombiana Angelita Parra. Além delas, também aparecem como favoritas ao título as venezuelanas Katherine Lindo e Florangela Rodríguez.

Maratona dos Descobrimentos
No sábado (26), último dia da competição, outros 1.800 ciclistas inscritos vão se juntar aos atletas de elite para a disputa da Maratona dos Descobrimentos.

A prova tem 75 km de distância e acontece no mesmo percurso da sétima e decisiva etapa da ultramaratona. Com largada e chegada em Arraial D'Ajuda, é a oportunidade que os amadores e semiprofissionais têm de pedalar ao lado de ciclistas renomados do moutain bike mundial.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas