Brasileiras lançam espumante com colágeno

entretenimento
10.04.2021, 16:00:00
As sócias Regina Vanderlinde e Patrícia Possamai (divulgação)

Brasileiras lançam espumante com colágeno

Em cada garrafa de 750 ml são adicionados 2,5 g de peptídeos ativos de colágeno Verisol

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Já imaginou beber um bom espumante e, ao mesmo tempo, cuidar da pele e prevenir o envelhecimento precoce? Esta foi a ideia das brasileiras Regina Vanderlinde e Patrícia Possamai com o Bella Collagen Sparkling Pink, uma bebida alcoólica mista feita como espumante brut e enriquecida com colágeno.

Pioneiro no mundo, é o primeiro da marca Bella Wines e foi elaborado pelo método Charmat Longo, usando uvas Chardonnay, Riesling Itálico, Pinot Noir e Merlot do Vale dos Vinhedos (RS). Em cada garrafa de 750 ml são adicionados 2,5 g de peptídeos ativos de colágeno Verisol — justamente a dose diária recomendada para as mulheres.

“Passamos um ano em testes com diferentes tipos de colágeno até chegar neste produto”, conta a enóloga e sommelière Patrícia Possamai. “A proteína que usamos tem um gosto considerado nada agradável quando consumida em pó, mas conseguimos eliminar completamente o sabor residual em nosso borbulhante”, explica.

 Possamai  ainda esclarece que, devido a restrições na legislação brasileira, o Bella Collagen Sparkling Pink não pode ser categorizado como espumante. Mas na composição existe apenas vinho base e a proteína.

Beleza e amor pelo vinho como inspiração 
Segundo estudo de 2018 da Euromonitor International, um dos maiores provedores de pesquisa de mercado do mundo, o Brasil é hoje o quarto maior mercado de beleza e cuidados pessoais do globo. Nesta conta, entram cosméticos para cabelo, pele e produtos para higiene bucal. O país fica atrás apenas dos Estados Unidos, China e Japão.

Além disso, os brasileiros vêm consumindo cada vez mais vinho. Somente em 2020, a comercialização de brancos, tintos, rosés, licorosos e espumantes cresceu 31% em relação a 2019. A soma da venda das vinícolas brasileiras com as importações totalizaram 501,1 milhões de litros, contra 383,9 milhões de litros em 2019 no ano anterior.

Estes dados impressionantes levaram as sócias a pensarem em um produto que unisse esses dois potenciais. “Sempre gostei de criar, inovar. E pensando nas nossas próprias demandas como mulheres, nos perguntamos: ‘Por que não?’. Hoje, com o lançamento e a repecurssão internacional do Bella Collagen Sparkling Pink, acho que conseguimos transcender o conhecimento acadêmico para ajudar a levar felicidade – sim, vinho é felicidade – para o mercado”, celebra.

Doutora em Enologia pela Universidade de Bordeaux (França) e presidente da Organização Internacional da Vinha e do Vinho (OIV), Regina Valderlinde conta que a bebida também une suas maiores paixões. “A beleza do vinho me encanta e me inspira leveza, diversão e imaginação. A ideia de criar o Bella surgiu da vontade de juntar o prazer com a beleza e poder compartilhar este sentimento materializado na forma desta bebida", destaca.

O espumante está na pré-venda e custa R$ 71,16 no site Vinhos Web. Segundo a ficha técnica, possui delicada coloração rosa salmão com reflexos dourados, realçados pelo perlage fino, longo e persistente. Seu aroma é fino, com toques de morango, framboesa e frutas tropicais. Na boca é leve, refrescante e possui um retrogosto frutado. Tem 10,5% de graduação alcoólica.

O espumante está na pré-venda e custa R$ 71,16 no site Vinhos Web (divulgação)

 Efeitos do colágeno
O colágeno é uma proteína abundante no corpo humano, representando 30% do total de proteínas no organismo. Apesar de existirem cerca de 30 tipos diferentes dessa substância, o tipo 1 (presente na pele, ossos, tendões e cartilagens) é o mais comum. Sua função é manter a estrutura dos tecidos: pele jovem, firme e sem rugas, ossos fortes, cartilagens hidratadas e cabelos brilhosos e resistentes.

O problema é que, a partir dos 25 anos, há uma queda de pelo menos 1% ao ano na produção da proteína. Suplementá-la tem sido uma estratégia adotada por muitos profissionais da área médica; mas segundo a dermatologista Camila Medeiros, a questão até hoje é controversa.

“Apesar de a indústria falar que o colágeno vai para a pele, ele será quebrado em aminoácidos e eles serão absorvidos indistintamente pelo corpo, não necessariamente ou diretamente beneficiando a área do rosto”, conta a especialista.

Ela revela que muitos de seus pacientes já fazem suplementação diária, alegando melhor textura na pele e unhas mais fortes. Outros, no entanto, não sentem diferença ou não conseguiram se adaptar ao sabor. Mas assim como muitas outras brasileiras, Camila Medeiros está entusiasmada com a novidade apresentada pelas enólogas.

“Estudos sérios apontam que a ingestão diária de 2,5g da substância melhora, sim, a hidratação da pele de maneira geral. Achei a ideia genial, inclusive como dose extra, já que não recomendamos que se tome a garrafa inteira para garantir a quantidade ideal por dia. Toda proteína que pudermos oferecer a mais, principalmente com pacientes que já fazem procedimentos dermatológicos que estimulam a produção local de colágeno, é bem-vinda!”, explica a médica.

Vinho & pele
Quando consumido moderadamente — até 2 taças por dia para homens e uma taça para mulheres — os vinhos, principalmente tintos, trazem diversos benefícios à saúde. A pele também se beneficia da ingestão consciente da bebida, principalmente devido aos seus antioxidantes e antienvelhecimento.

Isso ocorre graças a compostos como o resveratrol, polifenol com potencial para combater os radicais livres (moléculas advindas da poluição e de danos causados pelo sol). Essas moléculas criam um estresse oxidativo no corpo, o que pode levar a linhas, rugas maiores, manchas solares, secura e aspereza.

Certamente, uma taça por dia não impede o envelhecimento natural do corpo, mas é um saboroso aliado quando combinado a hábitos saudáveis e o uso de filtro solar. Por outro lado, quando consumido em excesso, o vinho traz efeitos maléficos à pele, como desidratação e inchaço. Manter-se hidratado entre uma tacinha e outra é fundamental!

Além disso, a aplicação da bebida alcoólica diretamente na pele não é recomendada, podendo causar irritação e ressecamento.

O Bella Collagen Sparkling Pink é o primeiro produto tipo espumante no mundo a conter colágeno e a única produzida no Brasil. Mas a ideia de misturar bebidas fermentadas com suplementação desta proteína não é totalmente nova: na Espanha é elaborado um tinto sem álcool de Cabernet Sauvignon com 2g de colágeno por garrafa. O rótulo é o Espora Bella Vida e, na sua tabela nutricional, é informada ainda a quantidade de resveratrol e outros polifenóis.

No Japão foi lançada uma cerveja com o mesmo suplemento de 2g. Chamada de Precious, tem 5% de álcool e foi introduzida no mercado em 2015. Ambos estão indisponíveis no mercado brasileiro.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas