Busca por relacionamentos em apps de paquera cresce na pandemia

entretenimento
12.06.2021, 21:30:00
(Foto: Shutterstock)

Busca por relacionamentos em apps de paquera cresce na pandemia

Empresa dona do Tinder revelou crescimento de 12% em usuários pagantes

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A maioria das pessoas está sempre em busca de ter um alguém para chamar de amor e durante a pandemia, com o distanciamento social aumentando a solidão, o que se viu foi um aumento no uso dos aplicativos de relacionamento online. De acordo com o Dating.co, houve um crescimento de 82% no namoro online global em março de 2020, quando as medidas de isolamento entraram em vigor em muitos países.

De acordo com o levantamento, os norte-americanos são os que mais dão match no planeta. Índia, Irlanda, Reino Unido e Espanha completam a lista de 5 mais.

Nesse universo de gente buscando romance – ou lance –, o negócio é tão a sério que o Match Group – proprietário de aplicativos de relacionamento como Tinder, OkCupid e Hinge – revelou um crescimento de 12% no número de usuários pagantes de seus apps de paquera no terceiro trimestre de 2020, em relação ao ano anterior ou 10,8 milhões de pessoas. Trocando em miúdos – ou graúdos, nesse caso – um aumento de 18%, na receita, o que corresponde à US$ 640 milhões.

Outro app de paquera famoso, o Inner Circle, teve, no início da pandemia, um aumento médio no número de matches e mensagens enviadas de 99% e 116%, respectivamente.

O que dá para perceber é que, mesmo em temos de pandemia e, consequentemente, de aparente individualismo, o amor – pelo menos, por enquanto – não morreu.

Leia mais notícias do Alô Alô.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas