Caetano rebate críticas por uso de prato e faca: 'É uma ignorância inacreditável'

entretenimento
12.08.2020, 22:13:58
Atualizado: 12.08.2020, 22:21:18
(Globoplay/Reproduçao)

Caetano rebate críticas por uso de prato e faca: 'É uma ignorância inacreditável'

Uso de prato e faca como percussão por Moreno Veloso deu o que falar na live do Globoplay

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O cantor baiano Caetano Veloso, que completou 78 anos no último sábado (8), ficou satisfeito com a repercussão de sua live comemorativa no Globoplay. A surpresa negativa só veio quando o cantor leu uma crítica que achou cômica o uso de prato e faca para fazer samba (e tocado por Moreno Veloso, seu filho). Nas redes sociais, o baiano relembrou que a técnica é presente há anos no samba de roda raiz.

"Edith do Prato, João da Baiana... Minha mãe tocava prato e faca. No filme, sobre Bethânia, minha mãe tocava no prato, um samba gravado no início dos anos 70. Prato e faca no samba de roda da Bahia é insturmento obrigatório, tradicional. Aqui no Rio de Janeiro ainda tem gente que toca. Se falar com qualquer pessoa do mundo do samba, ela sabe de prato e faca. Pensar que foi-se usado prato e faca porque não tinha instrumento na hora, é de rir. É uma ignorância inacreditável", disse Caetano.

A empresária e esposa do cantor, Paula Lavigne, que gravava o vídeo, também comentou o caso. "Em uma grande produção do Globoplay, achar que ia faltar instrumento? Turma, vamos nos ligar", disse a empresária.

Além de piadas nas redes sociais, a "Rolling Stone Brasil", uma revista especializada em música, tinha reproduzido em um de seus textos a crítica sobre o uso de prato e faca. Após revisão, a publicação se desculpou pelo erro.

"A 'Rolling Stone Brasil' reconhece, lamenta profundamente o erro e pede desculpa a todos que se sentiram ofendidos com as palavras encontradas aqui, em especial (e em memória) à Dona Edith do Prato e àqueles que fizeram da cultura do prato-e-faca uma expressão musical fundamental da cultura do país".

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas