Candidato a pódio, Avancini é 13º no mountain bike em Tóquio

esportes
26.07.2021, 07:39:00
Atualizado: 26.07.2021, 07:39:28
Ciclista Henrique Avancini faz história para o Brasil em Tóquio (Reprodução Twitter Time Brasil)

Candidato a pódio, Avancini é 13º no mountain bike em Tóquio

Foi a melhor colocação do Brasil na história da modalidade nos Jogos Olímpicos

Henrique Avancini não conquistou o resultado que desejava nos Jogos Olímpicos de Tóquio. O brasileiro não conseguiu acompanhar seus principais adversários e terminou em 13º no ciclismo mountain bike na categoria cross-country na madrugada desta segunda-feira (26), pelo horário de Brasília, cruzando a linha de chegada em 1h28min09s. A prova foi disputada em Izu, distante pouco mais de 100 quilômetros da capital japonesa. Outro competidor do Brasil na disputa, Luiz Cocuzzi subiu cinco posições no fim e terminou a corrida em 27º.

O ouro foi conquistado pelo jovem britânico Thomas Pidcock, de 21 anos, que dominou completamente a prova e fechou o percurso em 1h25min04s. o suíço Mathias Flueckiger levou a prata, chegando 20 segundos atrás do campeão, e o bronze foi para o espanhol David Valero Serrano, que deu uma arrancada impressionante na reta final da corrida e cruzou a linha de chegada em 1h25min48.

Ainda que não tenha faturado a tão sonhada medalha inédita para a modalidade em Tóquio, Avancini, que era candidato ao pódio, tem o que comemorar. Seu resultado representa a melhor colocação do Brasil na história do ciclismo mountain bike nos Jogos Olímpicos. A marca é superior ao 18º posto de Jaqueline Mourão, obtida em Atenas-2004.

Atual número 3 do mundo e em sua segunda Olimpíada, o brasileiro de 32 anos era apontado como postulante a uma medalha pelos bons resultados obtidos nos últimos anos. Foi, por exemplo, campeão do mundo em 2018 e chegou a liderar o ranking mundial da categoria.

Na prova, ele teve um bom início, chegando a figurar na liderança no início da primeira volta. No entanto, Avancini perdeu fôlego depois do começo forte e foi perdendo posições a partir da segunda volta. Mesmo assim, conseguiu se manter no pelotão da frente, na sexta colocação, nas três primeiras voltas

O desempenho de Avancini foi caindo à medida que o tempo passava, perdendo um posto a cada volta até cair para o 13º lugar, sua posição final. Ele concluiu o percurso em 1h28min09s

Da segunda para a terceira volta, o britânico Tom Pidcock conseguiu desgarrar e viu apenas Flueckiger permanecer em seu encalço. Pidcock ampliou a vantagem na ponta de modo que não pudesse ser mais alcançado pelo suíço, que não teve o segundo lugar ameaçado, e finalizou o trajeto de mais de 28km distribuídos em sete voltas para levar o ouro para a Grã-Bretanha.

Na madrugada de terça-feira (27), pelo horário de Brasília, será a vez do mountain bike feminino, com a brasileira Jaqueline Mourão na disputa.


***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas