Cantor do Black Eyed Peas convida Ludmilla para colaboração musical

entretenimento
07.10.2019, 15:26:00
Atualizado: 07.10.2019, 15:28:41

Cantor do Black Eyed Peas convida Ludmilla para colaboração musical

Taboo ficou impressionado com performance da funkeira no Rock in Rio

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Ludmilla foi uma dos convidadas da Funk Orquestra que, no último sábado, dia 5, contou a história do funk no Rock in Rio. A cantora se apresentou pela primeira vez no festival de música e chamou a atenção, particularmente, de Taboo, um dos integrantes do Black Eyed Peas, grupo que também tocou no evento no mesmo dia.

O cantor aproveitou uma publicação da funkeira no Instaram para fazer um convite: "Respeito a você. Vamos fazer uma música juntos? Muito amor", escreveu ele. Na resposta, Ludmilla disse que se sentiu honrada: "vamos nessa", acrescentou.

Ao colunista Leo Dias, a cantora disse que o convite é para valer. "Depois de me chamar para assistir ao show (do Black Eyed Peas_ do palco e de me elogiar, falar que ficou hipnotizado com o meu show pela televisão, que sentiu a energia pela televisão, (Taboo) me chamou para gravar com eles", contou.

O Black Eyed Peas fez, recentemente, uma música em parceira com Anitta, que foi convidada para subir ao palco do Rock in Rio para cantar com o grupo. Mais cedo, ela tinha feito sua estreia no festival.

Primeira vez
"Teve preta, funkeira e favelada no palco do Rock in Rio, sim!" Foi dessa forma que Ludmilla manifestou sua emoção e agradecimentos após cantar pela primeira vez em um dos maiores festivais de música do mundo.

Em seu perfil no Instagram, a cantora de Duque de Caxias, cidade da Baixada Fluminense, falou o quanto foi importante para ela, aos 24 anos, ter essa oportunidade "em um mundo cheio de preconceitos". "Quantas vezes eu ouvi que o funk não me levaria a lugar nenhum, e olha onde estou! Vocês têm noção do que isso representa? Nós podemos tudo! Funk é cultura, é raiz, o funk salva vidas!", afirmou.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas