CAS rejeita a apelação e Jérôme Valcke segue banido do futebol

esportes
27.07.2018, 13:54:00
Atualizado: 27.07.2018, 16:48:53
ex-dirigente ficou muito conhecido no Brasil por causa de sua atuação na Copa do Mundo de 2014 (Foto: Fabrice Coffrini/AFP )

CAS rejeita a apelação e Jérôme Valcke segue banido do futebol

Valcke foi afastado das suas funções na Fifa em setembro de 2015, acusado em um processo de revenda de ingressos para a Copa do Mundo do Brasil

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A Corte Arbitral do Esporte (CAS, na sigla em inglês) rejeitou nesta sexta-feira (27) o recurso feito pelo francês Jérôme Valcke, ex-secretário-geral da Fifa, e manteve a punição de 10 anos banido de qualquer atividade ligada ao futebol e uma multa de 100 mil francos suíços (cerca de R$ 376 mil). O órgão sediado em Lausanne, na Suíça, explicou em nota oficial a decisão.

"As infrações cometidas por Jérôme Valcke foram acumulativamente graves e que, em consequência, as sanções foram plenamente proporcionais", afirmou a CAS, que recebeu o pedido de recurso do ex-dirigente em outubro do ano passado. Valcke, que nega qualquer delito, tentava anular a pena que recebeu.

O francês foi afastado das suas funções na Fifa em setembro de 2015, acusado em um processo de revenda de ingressos para a Copa do Mundo de 2014, no Brasil. No dia 14 de fevereiro de 2016, foi demitido do cargo. Em fevereiro do ano passado, o CAS o suspendeu de qualquer atividade ligada ao futebol por 12 anos, além da multa. Depois do primeiro recurso feito ainda em 2017, a pena foi reduzida para 10 anos.

O ex-dirigente ficou muito conhecido no Brasil por causa de sua atuação na Copa do Mundo de 2014. Braço direito do então presidente da Fifa, o suíço Joseph Blatter, uma de suas missões era coordenar o processo de desenvolvimento do Mundial no Brasil, analisando prazos, fiscalizando as obras em estádios e se reunindo com autoridades brasileiras, entre outras funções.

A punição a Valcke tem como base as violações dos artigos 13 da Fifa (regras gerais de conduta), artigo 15 (fidelidade), artigo 16 (confidencialidade), artigo 18 (dever de informação, cooperação e comunicação), artigo 19 (conflito de interesses), artigo 20 (oferta e aceitação de presentes e outros benefícios) e artigo 41 (obrigação das partes a colaborar) do Código de Ética da Fifa.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas