Casa recebe artistas de todo o mundo em Salvador; inscreva-se

entretenimento
31.08.2017, 21:20:00
Atualizado: 31.08.2017, 21:30:26
Cortejo do Largo do Cruzeiro de São Francisco ao casarão na Rua das Laranjeiras marcou a inauguração do Pouso das Artes (Foto: Almiro Lopes/CORREIO)

Casa recebe artistas de todo o mundo em Salvador; inscreva-se

Pouso das Artes hospedará artistas que vierem à capital baiana no Centro Histórico de Salvador

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Artistas, grupos e companhias de artes dos municípios baianos, de outros estados e do exterior podem comemorar. É que foi lançado nesta quinta-feira (31) o Pouso das Artes, projeto que hospedará quem vier realizar trabalhos artísticos, cursos, temporada de espetáculos, apresentações e outras atividades no campo das artes em Salvador. Para se hospedar no espaço, é preciso fazer uma solicitação direta à Fundação Cultural da Bahia (Funceb) e pagar uma taxa de manutenção de R$20 por dia. O regulamento e formulários podem ser conferidos no Portal da Fundação Cultural

Realizado pela Funceb em parceria com o Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac) na casa de n° 22 na Rua das Laranjeiras, no Centro Histórico de Salvador, o Pouso das Artes inclui 14 leitos. O imóvel tem dois apartamentos de dois quartos, sala, cozinha e banheiros, totalmente mobiliados, com mesas e cadeiras para refeições, além de acesso à internet. 

Segundo a diretora da Funceb, Fernanda Tourinho, a abertura do Pouso das Artes atende não só uma demanda espontânea da Escola de Dança receber pessoas para fazerem cursos específicos ou grupos artísticos que participem de eventos pensados pela Fundação. “A ideia é que esse imóvel fortaleça a arte e a cultura da Bahia. É do povo da Bahia, mas também de pessoas de todo o Brasil. Assim, poderemos facilitar este intercâmbio e fomentar os grupos artísticos em período que exige muita criatividade”, afirma. Confira o recado de Fernanda para os artistas interessados. 

O diretor do Ipac João Carlos de Oliveira ressalta que o espaço vai elevar a Bahia a um outro patamar. "É um espaço físico que vai, além de valorizar os grupos artísticos do estado, trazer um reconhecimento a nível internacional", diz. 

Estreando a residência artística, 12 jovens - três artistas da área de literatura e nove de teatro - chegaram nesta quinta ao local. Jean Fortes, 20 anos, veio de Feira de Santana para fazer um curso na área de teatro e ficará hospedado na casa até segunda (4). "Achei muito legal. É um modo de valorizar os artistas e mantê-los motivados para vir fazer mais coisas em Salvador".

Casarão recebeu os primeiros artistas-hóspedes nesta quinta; Jean Fortes (de short azul) é um deles
(Foto: Almiro Lopes/CORREIO)

De Ibotirama, no interior do estado, o ator e diretor teatral Gilberto Morais, 30, também faz parte do time de hóspedes que estreia o projeto. "A iniciativa é muito importante para fazer com que nós, artistas, tenhamos a possibilidade de vir para Salvador. É um reconhecimento aos que fazem arte no interior do estado e também uma forma de incentivar trocas entre os artistas do Brasil e do mundo", pontua. 

Clima de festa
A inauguração do Pouso das Artes nesta quinta (31) foi marcada por um clima de festa que envolveu centenas de pessoas no Pelourinho. Grupos artísticos de diversos gêneros se somaram a alunos de 12 a 17 anos do Curso Preparatório da Escola de Dança da Funceb, celebrando a Semana da Cultura Popular em um cortejo que partiu do Largo do Cruzeiro de São Francisco em direção ao casarão na Rua das Laranjeiras. "Conseguimos unir o cortejo, que é anual, com um o lançamento de um projeto muito bem elaborado: o Pouso das Artes. Este ano trouxemos como tema as lendas da cultura afro-brasileira", conta. 

Centenas de pessoas participaram de cortejo no Pelourinho
(Foto: Almiro Lopes/CORREIO)

Acompanhados por gestores de cultura e autoridades e sobre olhares de visitantes do Pelô, jovens com rostos e corpos pintados, com figurinos coloridos, compuseram o cortejo, cujo tema foi Lendas, Cantos e Encantos, com direção de Mayra Nascimento e Roquidélia Santos. Participaram do desfile, ao lado dos alunos da instituição, a Escola Odemaster de Mussurunga, Band'Axé, do Projeto Axé; a Banda Quabales do Nordeste de Amaralina; a Filarmônica Filhos de Apolo, de Santo Amaro da Purificação; além de manifestações culturais Nativas de Arembepe e Boi Mirim de Parafusos; bonecos do Teatro Lambe-Lambe, artistas de rua e circenses, como o palhaço Tiziu João Lima.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas