Ceará empata com Botafogo no Rio e se mantém na Série A

esportes
08.12.2019, 18:11:26
Atualizado: 08.12.2019, 18:21:23
Ceará se salvou com menor pontuação da história (Vítor Silva / Botafogo)

Ceará empata com Botafogo no Rio e se mantém na Série A

Vozão não dependeu do resultado do Cruzeiro

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O Ceará conseguiu o seu principal objetivo na temporada: permanecer mais uma ano na elite do futebol nacional. Neste domingo (8), no estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro, o clube cearense ficou no empate por 1 a 1, pela 38ª e última rodada, e evitou o rebaixamento no Brasileiro. O resultado foi suficiente para não depender do que o Cruzeiro, seu rival direto, que acabou sendo derrotado por 2x0, fizesse contra o Palmeiras no Mineirão.

O empate levou o Ceará a 39 pontos, contra 36 do Cruzeiro. A pontuação do clube cearense, que terminou na 16ª colocação, é a menor de um time que se livrou do rebaixamento na história do Brasileirão em pontos corridos com 20 clubes. O ano de 2020 será o terceiro seguido do time de Fortaleza na primeira divisão nacional.

Do outro lado, nada de comemoração. O Botafogo precisava vencer para ter chance de classificação à Copa Sul-Americana, mas não conseguiu. O empate o levou a 43 pontos, na 15.ª colocação, três a menos que o rival Fluminense, que venceu o Corinthians por 2 a 1, em São Paulo, e ficou com a última vaga na competição continental.

Em campo, o Ceará mostrou que precisava mais da vitória e mostrou mais disposição, mas sem ser efetivo nas jogadas de ataque. O primeiro tempo foi muito arrastado, com muita marcação no meio de campo, e o único lance ofensivo resultou no gol do Botafogo. Aos 38 minutos, após jogada pela direita, Luis Henrique cruzou rasteiro e Marcos Vinícius se adiantou à zaga na primeira trave para balançar as redes.

Na segunda etapa, sob o risco de ser rebaixado se o Cruzeiro vencesse o Palmeiras, o Ceará foi ao ataque. O técnico Argel Fucks, contratado a três rodadas do final do Brasileirão com o objetivo de salvar o time da queda, fez duas substituições para dar mais velocidade ao meio de campo e a proposta deu certo.

Aos 17 minutos, após jogada da esquerda, Thiago Galhardo recebeu na lateral e tentou o cruzamento. A bola foi interceptada pelo braço do lateral-direito Marcinho e, após análise do VAR, o pênalti foi marcado. O mesmo Thiago Galhardo bateu forte no centro do gol e o goleiro Diego Cavalieri quase tocou na bola. Era o gol que salvava o Ceará do rebaixamento.

Ao mesmo tempo que o Ceará empatava a partida no Rio de Janeiro, o Cruzeiro era derrotado pelo Palmeiras. Com mais tranquilidade, os jogadores do time cearense apenas administraram o resultado até o final. A pequena torcida cearense no Engenhão e milhares de torcedores no Ceará comemoraram muito.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas