Chegou a hora de flexibilizar?

entretenimento
25.09.2020, 05:50:00
Bruno Mazzeo em Diário de um Confinado: ainda mais neurótico (Divulgação)

Chegou a hora de flexibilizar?

Série de humor com Bruno Mazzeo chega à segunda temporada refletindo sobre volta à rotina

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Escrita e protagonizada por Bruno Mazzeo, a série Diário de um Confinado estreia a segunda temporada nesta sexta (25), no Globoplay. Os seis novos episódios mostram o dia a dia de Murilo (Mazzeo), ainda cumprindo a quarentena mas, aos poucos, começando a  tentar sair de casa.  A nova leva de crônicas conta com participações especiais de artistas como Letícia Colin, Tonico Pereira e Luis Lobianco, que se unem ao time.   

“Agora temos essa novidade que é de alguém que está tentando lidar com o mundo que está flexibilizando, mas que ainda tem muito medo. Murilo é um paranoico nato, um angustiado. Ele vive nessa gangorra da dúvida, indo e voltando”, detalha Joana Jabace, que divide a criação da série com Mazzeo e assina a direção artística.   

“Murilo continua com seus altos e baixos de humor e vai tentar dar esse passinho na flexibilização. Mas ele está ainda mais neurótico. Quanto mais relaxamento vai tendo, menos relaxado ele fica”, explica o autor.    

No primeiro episódio da nova leva, Desconfinando, Murilo vai tomar coragem e sairá de casa. Mas seu primeiro passeio –no próprio carro– vai ser diferente do que ele previa. O episódio conta com Fernanda Torres e Joaquim Waddignton, Renata Sorrah, Débora Bloch, Letícia Colin e Tonico Pereira, o tio de Murilo. 

“Estou achando o máximo conseguir trabalhar em tempos tão difíceis, e tendo a possibilidade de interpretar um personagem de classe média, aposentado e bem brasileiro. Ou seja, a minha praia”, brinca Tonico. 

Já em Mudança, Murilo, depois de tanto tempo de isolamento, decide dar uma reorganizada na casa. Como não dá muito certo, passa a buscar uma mudança interior e de autoconhecimento. A participação especial nessa crônica é de Eduardo Sterblitch, que faz um coach.
Globoplay, a partir de amanhã.

Assim como na primeira temporada, a produção está sendo realizada à distância. Novamente, o diretor de fotografia da série, Glauco Firpo, foi para a casa de Joana e Bruno para o trabalho in loco. “Continua tudo igual. Glauco ocupa de novo o quarto do João, meu filho mais velho. Continuamos só a gente. As externas são na esquina, em lugares bem próximos de casa. Não significa que o programa vá crescer nesse sentido de produção. Tudo está sendo feito igualzinho e lá vamos nós virar a vida de cabeça para baixo de novo”, brinca Bruno. 

Ele reforça que os protocolos estão sendo seguidos à risca para que todos trabalhem em segurança. “Continuamos tendo as limitações de produzir neste período, flexibilizando de acordo com o que permite o protocolo de segurança. Não apelamos para um cenário muito diferente, mantivemos a essência da série. A brincadeira sempre foi essa e funcionou muito. Isso serviu já na concepção, em todos os textos. Queremos continuar sendo essa produção caseira, mas não amadora”, fala o autor.   
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas