Chegou a hora: veja curiosidades sobre o Ba-Vi no Nordestão

esportes
13.03.2021, 10:05:00
Atualizado: 15.03.2021, 11:33:27
O Ba-Vi da Copa do Nordeste de 2020 terminou com vitória rubro-negra por 2x0 na Fonte Nova (Felipe Oliveira/EC Bahia)

Chegou a hora: veja curiosidades sobre o Ba-Vi no Nordestão

É o único clássico estadual que já definiu o título do torneio

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O primeiro Ba-Vi da temporada chegou. Neste sábado (13), às 16h, as duas maiores forças do futebol baiano estarão frente a frente no Barradão, em jogo válido pela 3ª rodada da Copa do Nordeste. Esta será a 16ª vez que o clássico será disputado no torneio regional.

É o Vitória quem leva a melhor no retrospecto. O Leão venceu sete vezes e o Bahia ganhou cinco partidas. Três encontros terminaram empatados.

O rubro-negro é o mandante no confronto de hoje. E, quando foi o dono da casa, garantiu quatro vitórias pelo Nordestão em seis jogos disputados. Houve ainda uma derrota para o tricolor e um empate em 2x2.

O Esquadrão também se deu melhor quatro vezes quando foi anfitrião, mas recebeu o adversário em nove embates pelo regional. Nos outros cinco jogos, perdeu três e empatou dois.


Só dá Ba-Vi
Uma das maiores rivalidades do Brasil, o Ba-Vi foi o único clássico local que atingiu uma final da Copa do Nordeste. E isso aconteceu três vezes, em 1997, 1999 e 2002. Em 2003, o Vitória chegou a uma decisão com o Fluminense de Feira, mas, apesarem de ser do mesmo estado, não dá para chamar de clássico.

Na primeira final com o Ba-Vi, em 1997, o Leão saiu com o título. O rubro-negro assegurou uma ótima vantagem no jogo de ida, quando venceu na Fonte Nova por 3x0, com gols de Uéslei, Gil Baiano e Chiquinho. Na volta, o tricolor venceu por 2x1, com gols de Ney Santos e Bebeto Campos (contra) - Agnaldo descontou para o Vitória.

Em 1999, mais uma vez a taça ficou com o Leão. Na ida, o uruguaio Hernández marcou os dois gols para o rubro-negro no 2x0, no Barradão. Na volta, na Fonte Nova, o Bahia fez 1x0, gol de Uéslei, mas foi insuficiente para tirar o bicampeonato do Vitória.

A terceira final entre os dois aconteceu em 2002 e garantiu a revanche tricolor. O Esquadrão avançou às semifinais em segundo lugar na fase de grupos, com 27 pontos. A ponta da tabela era ocupada pelo arquirrival, com 35. No mata-mata, o Bahia eliminou o Náutico, enquanto o Vitória despachou o Santa Cruz. Chegava, então, o momento da decisão.

A partida de ida foi na Fonte Nova. Nonato, Sérgio Alves e Robgol balançaram as redes e garantiram o triunfo tricolor por 3x1 - Samir descontou. Na volta, no Barradão, Róbson Luís e Fernando marcaram para o Vitória, enquanto Nonato fez dois para o Bahia. O empate em 2x2 assegurou o bicampeonato do Esquadrão, que havia levantado a taça também no ano anterior, contra o Sport na final.

Confusão, torcida única e fim de tabu
O Vitória não é anfitrião do clássico pela Copa do Nordesde desde 27 de abril de 2017. O jogo foi o de ida das semifinais e terminou com o placar de 2x1 a favor do rubro-negro. Uma curiosidade: foi a última vez que o Leão ganhou um Ba-Vi em seu estádio. Depois, já houve seis encontros no Barradão, entre Campeonato Brasileiro e Baiano, com três derrotas e três empates.

Aquele Ba-Vi, que era o segundo do ano, teve apenas torcedores rubro-negros após um triste episódio alguns dias antes. No primeiro embate, pelo estadual, torcedores dos dois times protagonizaram cenas lamentáveis fora da Fonte Nova, antes da bola rolar. A Polícia Militar precisou usar bombas para dar fim às confusões. E em outro episódio de violência, este já depois do clássico, um torcedor do Bahia foi morto a tiros em um posto de gasolina na Avenida Vasco da Gama, por um homem que desceu de um ônibus na via. Os clássicos seguintes foram realizados apenas com a torcida do time da casa no estádio.

Na partida de volta pelas semifinais do Nordestão de 2017, o Esquadrão foi o mandante e ganhou por 2x0, avançando à decisão daquele ano - quando faturou o título em cima do Sport. O clássico também teve torcida única e briga, dessa vez, em campo.

Após o apito final, o então técnico do Vitória, Argel Fucks, e o volante Edson, do Bahia, bateram boca, o que iniciou uma confusão generalizada. O goleiro Caíque, que defendia o Leão, foi atingido por Feijão e, irritado, precisou ser contido. O caos foi tão intenso que o treinador tricolor Guto Ferreira perdeu os óculos e o atacante Kieza (à época no Leão) por pouco não foi preso, depois de ofender um policial.

Depois das duas semis de 2017, o Ba-Vi pela Copa do Nordeste se repetiu em 2019, pela fase de grupos, que terminou com empate em 1x1 na Fonte Nova. As equipes poderiam se encontrar novamente na final daquela edição, mas nenhuma das duas alcançou a decisão - o Bahia foi eliminado na fase de grupos, e o Vitória caiu para o Fortaleza nas quartas.

O clássico voltou a acontecer pelo regional no ano passado, com jogo válido pela 3ª rodada, na Fonte Nova. Dessa vez, quem se deu melhor foi o Vitória, por 2x0, gols de Thiago Carleto e Vico. O triunfo do Leão, inclusive, botou fim a um jejum incômodo ao torcedor rubro-negro: de 12 partidas sem bater o Bahia - somando todas as competições.

Haja torcedor!
O Ba-Vi deste fim de semana terá portões fechados, por causa da pandemia do coronavírus. E o cenário sem torcedores acompanhando ''in loco'' é bem diferente do que o clássico está acostumado.

No top 10 dos maiores públicos pagantes da história da Copa do Nordeste, há quatro confrontos entre Bahia e Vitória. Em 2002, na partida de ida da final, 64.689 torcedores estiveram na Fonte Nova e acompanharam o triunfo tricolor por 3x1. É o segundo maior público no ranking - perde só para Bahia 3x1 Sport, também na casa do Esquadrão, na decisão do ano anterior, com 65.834 pagantes.

O segundo Ba-Vi na lista - e o número 5 do ranking - teve 54.774 torcedores. Aconteceu na primeira final de 1997, na Fonte Nova, na vitória rubro-negra por 3x0. Com 48.510 pagantes, o 7º lugar do top 10 é o triunfo do Vitória por 3x1 sobre o Bahia, na Fonte Nova, pela segunda fase da Copa do Nordeste de 1998. 

Fechando as edições de Ba-Vi que aparecem no ranking de maiores públicos pagantes, está o empate em 1x1 na Arena Fonte Nova, pela 3ª rodada de 2019. Ao todo, o estádio recebeu 43.393 torcedores do Esquadrão - o clássico teve torcida única por recomendação do Ministério Público da Bahia.

Os 10 maiores públicos pagantes da Copa do Nordeste:

  1. 65.834 pagantes: Bahia 3x1 Sport na Fonte Nova - 28 de abril de 2001
  2. 64.689 pagantes: Bahia 3x1 Vitória na Fonte Nova - 05 de maio de 2002
  3. 63.399 pagantes: Ceará 2x1 Bahia no Castelão - 29 de abril de 2015
  4. 60.068 pagantes: Ceará 1x1 Sport no Castelão - 09 de abril de 2014
  5. 54.774 pagantes: Bahia 0x3 Vitória na Fonte Nova - 18 de maio de 1997
  6. 52.207 pagantes: Ceará 0x1 Asa no Castelão - 03 de março de 2013
  7. 48.510 pagantes: Vitória 3x1 Bahia na Fonte Nova - 19 de abril de 1998
  8. 45.378 pagantes: Bahia 0x0 Sampaio Corrêa na Fonte Nova - 07 de julho de 2018
  9. 43.393 pagantes: Bahia 1x1 Vitória na Fonte Nova - 03 de fevereiro de 2019
  10. 42.437 pagantes: Bahia 2x1 Fortaleza na Fonte Nova - 21 de abril de 2001

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas