Chile e China fecham vagas do futebol feminino em Tóquio-2020

esportes
13.04.2021, 17:30:00
Depois de vencer na ida por 2x1, Chile empatou sem gols com Camarões e conquistou vaga (Foto: Seleção Chilena/Reprodução Twitter)

Chile e China fecham vagas do futebol feminino em Tóquio-2020

Seleções são as duas últimas equipes classificadas para os Jogos Olímpicos no Japão

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O torneio de futebol feminino dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, adiados em um ano por causa da pandemia do novo coronavírus, conheceu nesta terça-feira os dois últimos países classificados - o Brasil já estava garantido com o título do Sul-Americano em 2019. São eles o Chile e a China, que passaram por jogos de repescagem contra Camarões e Coreia do Sul, respectivamente.

Em Antalya, na Turquia, depois de vencer a primeira partida da repescagem por 2x1, o Chile empatou sem gols com Camarões, o suficiente para conquistarem uma classificação inédita na sua história. As chilenas já disputaram um Mundial, mas nunca haviam garantido vaga em uma Olimpíada.

Precisando da vitória, Camarões tomou a iniciativa e partiu mais para o ataque, criando algumas oportunidades de gol. Com um futebol mais reativo, o Chile apostou nos contra-ataques para tentar surpreender e matar o confronto. As coisas ficaram mais complicadas para as africanas quando Brigitte Omboudouen foi expulsa aos 19 minutos do segundo tempo. Com uma a mais em campo, a seleção sul-americana teve mais tranquilidade para segurar o resultado.

Já em Suzhou, na China, a seleção da casa, em uma reação na prorrogação, comandada por Wang Shuang, empatou por 2x2 com a Coreia do Sul no jogo de volta da repescagem da Ásia e, por ter vencido o primeiro jogo por 2x1, em solo sul-coreano, ficou com a vaga.

A China podia até perder pelo placar de 1x0 jogando sob seus domínios que ainda assim se classificava para Tóquio-2020. Entretanto, a seleção da casa não teve vida fácil. Aos 31 minutos do primeiro tempo, Kang Chae-rim recebeu um cruzamento e de primeira chutou para o gol chinês, abrindo o placar para as visitantes.

As sul-coreanas não demoraram para ampliar a vantagem. Aos 45 minutos, após um escanteio, a goleira chinesa deu um rebote, a sul-coreana Cho So-hyun cruzou e a defensora chinesa Li Meng Wen colocou a bola contra as próprias redes.

Nervosa, a China voltou ao jogo apenas na reta final da partida. Aos 24 minutos do segundo tempo, Yang Man aproveitou uma cobrança de falta de Shuang e diminuiu o placar. Depois, nenhuma das duas equipes foi às redes durante o tempo normal e, com o mesmo resultado do jogo de ida, a decisão foi para a prorrogação

Shuang voltou a brilhar no tempo extra. Aos 13 minutos da primeira etapa, ela acertou um lindo chute de fora da área, indefensável para a goleira sul-coreana, e empatou o jogo em 2 a 2. No agregado, as chinesas ficaram à frente por 4 a 3. A partir daí, foi só segurar o resultado e confirmar a vaga para sua sexta aparição olímpica. A China vai em busca de sua segunda medalha, tendo sido prata em Atlanta-1996, nos Estados Unidos.

O sorteio dos grupos dos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020 será realizado no próximo dia 21 - são 12 países na disputa. Os potes serão definidos após a próxima atualização do ranking da Fifa, que será divulgado nesta sexta-feira (16).

As 12 seleções classificadas para Tóquio são Austrália, Brasil, Canadá, Chile, China, Estados Unidos, Grã-Bretanha, Holanda, Japão, Nova Zelândia, Suécia e Zâmbia.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas