Chuva destrói casa no Novo Marotinho e alaga imóveis em Itapuã

salvador
08.04.2021, 15:07:50
Atualizado: 08.04.2021, 15:44:09
(Leitor Correio)

Chuva destrói casa no Novo Marotinho e alaga imóveis em Itapuã

Ocorrências não deixarem vítimas fatais e moradores questionam atuação da Defesa Civil de Salvador (Codesal)

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Com as fortes chuvas que caem em Salvador nesta quinta-feira (8), casos de desabamentos e alagamentos voltam a surgir em toda extensão da capital. No bairro do Novo Marotinho, uma casa foi destruída após a queda de um muro na localidade. A ocorrência não deixou vítimas.

“Os donos da casa estavam dormindo quando aconteceu a queda do muro, que destruiu o imóvel. Só deu tempo de acordar e resgatarem o filho, que também estava lá. Era o muro da casa vizinha, que desabou e destruiu tudo. Eles perderam a maioria das coisas”, afirma uma moradora do bairro.

Segundo relatos, a perda de móveis e eletrodomésticos da residência foi total. As vítimas inicialmente se abrigaram na casa ao lado do imóvel destruído, no entanto, tiveram de ser retiradas pois a casa em questão acabou sendo condenada pela Defesa Civil de Salvador (Codesal).

A atuação da Codesal foi questionada por vizinhos do casal, já que, segundo eles, foi tentado o contato por diversas vezes, sem resposta positiva, já que a Defesa Civil teria exigido que o contato fosse feito pelos proprietários do imóvel, independentemente dos vizinhos possuírem todos os dados e documentos das vítimas em questão.

De acordo com o boletim da Codesal de hoje, referente até às 14h42 desta quinta-feira, foram registrados 27 ocorrências de alagamento, 14 ameaças de desabamento, 39 ameaças de deslizamentos, cinco ocorrências com árvores caídas ou ameaçando cair, 37 avaliações de imóveis alagados, um desabamento de imóvel, 11 deslizamentos de terra e dois casos de infiltração. O total é de 126 ocorrências diretamente relacionadas às chuvas.

Made with Flourish

Na rua do Km 17, localizada no bairro de Itapuã, a situação é semelhante. As fortes chuvas fizeram com que vários imóveis da localidade ficassem completamente tomados pela água, gerando um grande prejuízo aos moradores. 

Segundo relatos dos moradores da localidade, a Codesal efetuou um serviço para evitar que o alagamento acontecesse, no entanto, na primeira forte chuva — que foi a desta quinta-feira — o trabalho se mostrou insuficiente para evitar a tomada das casas pela água. Um grande número de moradores tiveram que suspender seus móveis e eletrodomésticos para evitar que estes fossem atingidos pelo alagamento. 

"A situação é complicada. Os moradores são vítimas, toda vez que chove a situação é essa. A gente achava que tinha resolvido, mas aconteceu a mesma coisa de sempre. Tá tudo alagado. São várias casas alagadas. Os becos estão parecendo alagados, é um absurdo isso", diz um morador da localidade.

O CORREIO* tentou entrar em contato com a Codesal através de telefone, e-mail e WhatsApp, mas não obteve resposta até o momento. Logo que o contato for respondido, a matéria será atualizada com o posicionamento da Defesa Civil de Salvador.


*Com orientação da subeditora Carol Neves
 


***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas