Cinco álbuns marcantes do Rei Roberto Carlos

entretenimento
17.04.2021, 14:00:00
Atualizado: 19.04.2021, 10:38:12
Roberto Carlos completa 80 anos nesta segunda-feira (19) (Foto: divulgação)

Cinco álbuns marcantes do Rei Roberto Carlos

Seleção do cantor Dão Black destaca clássicos dos anos 70

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Roberto Carlos completa 80 anos segunda-feira, com direito a muitas e merecidas homenagens. Pra nos ajudar na escolha de um set list especial, convidamos o cantor e compositor Dão Black que, como muitos de nós, cresceu ouvindo Roberto. “É muito difícil definir um repertório em meio a tantos hits e sucessos”, diz Dão, desafiado em escolher apenas cinco álbuns. Ele conta que foi de um trabalho mais triste, passando pelos românticos e incluindo representantes das experimentações dele com ritmos negros, como o funk e o soul. 

Dão se inspirou no especial de fim de ano do Rei para montar o show Dão Canta Roberto, para apresentar no presídio feminino da Lemos de Brito. Com direito a distribuição de 150 rosas para as presidiárias.  A repercussão foi tão boa que ele já mostrou o show  até no Teatro Castro Alves, no projeto Domingo no TCA, em 2019, e planeja uma live no Dia das Mães, com todo romantismo que a data merece. Confira os cinco álbuns escolhidos por Dão, que lança hoje, às 18h, o clipe da música Menina de Cabelo Black. Veja em  www.youtube.com/watch?v=JNWlY6iizos

dão


O Inimitável (1968) - É um discaço, repleto de hits como As Canções que Você Fez Pra Mim, Eu Te Amo, Eu te Amo, eu te Amo,  Se Você Pensa, todas de Roberto e  Erasmo. Tem também Quase Fui lhe Procurar, de Getúlio Côrtes, e a balada soul de Antônio Marcos, E Não Vou Deixar Você Tão Só.

Roberto Carlos (1969) - As Flores do Jardim da Nossa Casa,  As Curvas da Estrada de Santos, de Roberto e Erasmo, Quero Ter Você Perto de Mim, de Nenéo, e Não Vou Ficar, um funk do mestre Tim Maia. Obra prima!

Roberto Carlos (1971) - Todo cantor romântico deve sim cantar um blues e Roberto gravou Como Dois e Dois, de Caetano Veloso. Com Erasmo, ele compôs Todos Estão Surdos e Detalhes, é claro. Esse disco é um foguete.

Roberto Carlos (1972) - Como Vai Você, de Antônio Marcos,  Por Amor,  A Janela, Você é Linda e O Divã. Essa última ele conta o acidente que sofreu quando criança. Todas dele e de Erasmo.

Roberto Carlos (1977) -  Muito Romântico, de Caetano Veloso, Outra Vez, de Isolda, Pra Ser só Minha Mulher, de Ronnie Von, e Cavalgada, dele e Erasmo. Essas músicas têm o cheiro da casa que meus pais construíram para eu e meus irmãos morarmos.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas