Com salário atrasado, elenco do Bahia decide não concentrar nem dar entrevistas

e.c. bahia
24.09.2021, 15:23:00
Atualizado: 24.09.2021, 22:11:51
Elenco do Bahia convive com salários atrasados e luta contra o rebaixamento no Brasileirão (Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia)

Com salário atrasado, elenco do Bahia decide não concentrar nem dar entrevistas

Tricolor deve valores da imagem e da carteira dos jogadores

A crise que o Bahia vive dentro de campo no Campeonato Brasileiro agora se apresenta também fora das quatro linhas. Incomodados com os salários atrasados, os jogadores decidiram que não vão mais concentrar antes dos jogos em Salvador e não concederão mais entrevistas. A informação foi divulgada inicialmente pela TNT e confirmada pelo CORREIO. 

A decisão foi tomada após uma reunião entre os atletas e o vice-presidente Vitor Ferraz, na quinta-feira (24). Alguns jogadores estariam com até oito meses de direito de imagem atrasado e um mês na carteira de trabalho (CLT). 

Em nota, o Bahia confirmou a dívida com os atletas, mas afirmou que o pagamento da imagem está com três meses em atraso. E que sete jogadores remanescentes do ano passado possuem mais quatro meses em aberto, totalizando sete meses (leia a nota do clube na íntegra abaixo)

A diretoria informou que não vai se manifestar sobre a decisão dos atletas de não concentrar e não conceder entrevistas. O próximo jogo é fora de casa, domingo (26), contra o Internacional, em Porto Alegre.

O atraso nos pagamentos dos salários não é uma novidade na Cidade Tricolor este ano. Em agosto, o presidente Guilherme Bellintani confirmou que o clube não estava pagando as remunerações em dia. 

"As imagens do ano passado estão sendo conversadas. O que precisamos é de transparência, diálogo, compreensão. Estamos conversando para tentar encerrar o ano com tudo isso suprido. Apesar do ano ser muito difícil, passamos pelo pior momento financeiro do clube. A expectativa, agora, é ir melhorando", afirmou Bellintani na ocasião. 

Desde o início da pandemia da covid-19 o Bahia tem passado por dificuldades financeiras. O clube alega que, sem a presença da torcida no estádio,  viu as receitas caírem, inclusive com a diminuição no número de sócios. 

Além disso, nos últimos anos o Esquadrão viu aumentar a dívida trabalhista. O volante Elias e o meia-atacante Élber, que deixaram o time em janeiro, entraram com ações na Justiça cobrando verbas em atraso - as partidas fizeram acordo.

O Bahia é o 15º colocado da Série A, com 23 pontos. A pontuação é a mesma do Juventude, primeiro time na zona de rebaixamento.

Confira nota divulgada pelo Bahia:

O Esporte Clube Bahia vem a público responder matéria veiculada pelo site 'TNT Sports', na tarde desta sexta-feira (24), que lamentavelmente não cumpriu requisito jornalístico de procurar o posicionamento da instituição.

É verdade que o Bahia vive situação de dificuldade financeira, motivada pelos efeitos da pandemia a partir de março de 2020, que impediram o clube de seguir a rotina de salários em dia desde a temporada de 2015.

Quedas bruscas de receita como a do programa de sócios, antes capaz de quitar folhas inteiras de pagamento só com as mensalidades dos torcedores, afetaram o orçamento e o planejamento montados no final de 2019.

Apesar disso, as informações divulgadas estão equivocadas.

Neste momento, em função dos motivos citados, há atraso de um mês de salário e três de imagem para o elenco, exceção a sete atletas remanescentes do ano passado, que estão com outros quatro meses de imagem em aberto, fruto de acordo de renegociação da pandemia.

Mais: até então 384 colaboradores receberam o salário de agosto, que venceu no 5º dia útil de setembro, sempre iniciando das menores para as maiores remunerações. Além disso, 487 funcionários receberam o décimo terceiro de 2020, faltando 63, dentre eles os jogadores.

Neste um ano e meio de crise mundial, não houve demissões. A prioridade foi manter o emprego das pessoas que fazem o Esquadrão.

Superada a pior fase do problema, o Bahia se encaminha para solucionar as últimas pendências. Já estamos melhor do que estávamos e a união de todos, dentro e fora do clube, se mostrará fundamental.


***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas