Com sete jogos de jejum, Lisca pede demissão do América-MG

esportes
14.06.2021, 17:05:00
Atualizado: 14.06.2021, 17:06:03
Lisca não é mais o técnico do América-MG (Estevão Germano/América-MG)

Com sete jogos de jejum, Lisca pede demissão do América-MG

Técnico enfrentava um do seus piores momentos no clube e estava insatisfeito com a falta de reforços

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Em um jejum de vitórias no América-MG, o técnico Lisca pediu demissão nesta segunda-feira (14), um dia após o fim da terceira rodada do Brasileirão. O treinador vinha de sete partidas sem vitória. A última delas foi uma derrota para o Flamengo por 2x0, no Maracanã, no Rio de Janeiro, no domingo (13).

Vice-campeão da Série B do Campeonato Brasileiro, Lisca enfrentava um do seus piores momentos no clube mineiro. Além da série negativa, o time havia perdido o título do Campeonato Mineiro para o Atlético-MG e acabou sendo eliminado na terceira fase da Copa do Brasil pelo Criciúma.

Além disso, o treinador estava insatisfeito com a falta de reforços. Apenas Bruno Nazário, da sua lista inicial, foi contratado. A atual fase deixa o América na lanterna do Brasileirão e o torna único a ter perdido os três jogos iniciais O time mineiro ainda não marcou gols e registra o pior início dos pontos corridos.

Há algum tempo Lisca vem sendo alvo de rumores sobre um possível interesse do Internacional. A má fase de Miguel Ángel Ramírez contribuiu. O treinador colorado foi demitido na semana passada e o time gaúcho foi comandado na rodada do fim de semana pelo auxiliar Osmar Loss. Lisca passou pelas categorias de base do Inter e treinou o clube rapidamente em 2016.

Pelos lados do América, o principal nome que surge é de Felipe Conceição. Demitido recentemente do Cruzeiro, ele passou pelo América e conhece bem o clube.

Lisca foi contratado em janeiro de 2020 pelo América e, desde então, realizou 81 jogos, com 40 vitórias, 27 empates e 14 derrotas, um aproveitamento de 60,4%.

O pedido de demissão de Lisca agradou ao América. Afinal, com a nova regra imposta pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o clube não fica impedido de contratar ou demitir técnicos. Se o time tivesse demitido Lisca, a história seria outra.

Além do treinador, Jorge de Lorenzi, irmão de Lisca, Márcio Hahn, auxiliar técnico, e Armando Desessards, diretor de futebol, também deixam clube mineiro. Sem Lisca, o América voltará a campo na quinta-feira, às 16 horas, quando receberá o Cuiabá no Independência, em Belo Horizonte, pela quarta rodada do Brasileirão.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas
  • Assinaturas: 71 3480-9140
  • Anuncie: 71 3203-1812
  • Ache Aqui Classificados: 71 3480-9130
  • Redação: 71 3203-1048