Como identificar um ataque cibernético

artigo
15.06.2021, 05:23:00

Como identificar um ataque cibernético


Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Vivemos uma revolução digital e com ela novos riscos surgem a cada dia. À medida que a tecnologia avança os invasores também encontram novos alvos. Os incidentes de segurança sempre acontecerão, por isso temos que estar prontos para investigar, identificar e responder rapidamente um ataque cibernético, corrigindo as vulnerabilidades do sistema o quanto antes. 

Com uma boa estratégia de segurança é possível bloquear conexões indesejadas, minimizar os impactos de ataques sorrateiros e eliminar ameaças críticas. 

Considerando que todos os meses surgem novos patches para corrigir algo que, por algum motivo, não está funcionando do jeito planejado dentro de um determinado software, é  necessário agilidade para manter a operação rodando, de modo a limitar os riscos e danos à organização.
 
Para oferecer aos analistas de segurança recursos mais eficientes, visando a otimização do fluxo de trabalho, algumas empresas de cibersegurança criaram uma plataforma de defesa exclusivamente para detecção e resposta rápida a ameaças. Com análise automatizada e maior visibilidade dos potenciais riscos à segurança, os recursos XDR - o D significa Detecção, o R Resposta e o grande diferencial está no X, que significa qualquer fonte de dados, e não somente o endpoint - permitem detectar mais e responder ainda mais rápido.

Pesquisa recente do Gartner - 10 Principais Tendências de Tecnologia para Governos em 2021 - aponta que 50% das empresas de tecnologia que fornecem produtos e serviços para as administrações públicas oferecerão recursos de negócios em pacotes para dar suporte a aplicações combináveis até 2023; e 75% dos CIOs do setor de governo serão diretamente responsáveis pela segurança fora da TI até 2025, incluindo ambientes operacionais e de tecnologia em missão crítica, com recursos que têm o potencial de acelerar a digitalização e otimizar a oferta de serviços públicos.

É mandatório ter visibilidade para poder mapear os ataques quando eles ainda estão no início e não deixar que se transformem em um grande incidente, para então agir. As ameaças precisam ser detectadas e os analistas de segurança precisam descobrir como melhorar a investigação e o tempo de resposta a um ataque.

Cada vez mais as empresas terão que implementar soluções multicamadas, para rápida detecção, além do endpoint, coletando e analisando também dados de e-mails, servidores, workloads na nuvem e redes. As companhias que empregam técnicas automatizadas de agregação de dados, habilitadas com soluções de XDR, desfrutam dos melhores resultados de segurança porque compreendem e respondem aos incidentes de forma rápida e efetiva. Então, vamos ficar de olho no que o mercado oferece para minimizar os problemas futuros.


Sérgio Neves é regional account manager da Trend Micro.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas