Confira as profissões que garantem desconto na hora de comprar um carro novo

minha bahia
23.10.2020, 07:00:00
Atualizado: 24.10.2020, 07:38:40
Nissan Kicks pode ter desconto para microempreendedor individual e também motoristas de aplicativo (Tiago Caldas/ CORREIO)

Confira as profissões que garantem desconto na hora de comprar um carro novo

Classes podem ter economias que chegam em R$ 30 mil em concessionárias

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

A missão de adquirir um novo veículo é mais barata para produtores rurais, microempreendedores individuais (Mei) e motoristas de aplicativo. Isso porque, através da compra direta - modelo de compra em que o cliente adquire o carro junto à montadora e tem a concessionária apenas como uma intermediária -, essas classes podem obter veículos com descontos que podem superam os R$ 30 mil. 

O processo faz com que o faturamento dos carros seja feito na montadoras e exige, além dos documentos comprobatórios de praxe, papéis que confirmem o pertencimento do cliente à classe beneficiada. O período entre a protocolização do pedido para a montadora é de, pelo menos, 30 dias.

Wilson Borges, responsável por vendas diretas da Eurovia, concessionária da Nissan, explica como funciona o processo. “Existe uma legislação que faz com que produtores rurais, empresas e taxistas tenham acesso a essa compra direta da fábrica, através da concessionária, o que possibilita a obtenção do desconto. Esse tipo de venda é feita direto da fábrica. A concessionária deixa de ser vendedora do carro e passa a ser apenas um ponto de apoio, uma intermediária no processo de compra”, afirma.

O desconto, que varia atualmente entre 13% e 16% nas concessionárias ouvidas pela reportagem do CORREIO, é pouco conhecido pelos cidadãos. Antônio Guimarães, 64 anos, produtor rural de Itapetinga, interior da Bahia, já aproveitou. “Como produtor rural, fiz uma compra de um veículo que facilitava a logística da minha produção. O desconto é significativo. Na época, comprei uma Strada, que custava R$ 80 mil e saiu por R$ 8 mil a menos”, relembra.

O microempreendedor rural Odair Nascimento, 46, começou a trabalhar com uma fazenda em Itororó há pouco tempo e vê nos descontos uma bela oportunidade para investir em veículos que facilitem a logística. “O desconto ajuda muito porque, normalmente, quem tá começando, conta com incentivo do governo pra investir. Às vezes, o valor não é suficiente pra comprar o material necessário. Então, a taxa descontada deixa a gente mais perto de conseguir adquirir o que precisamos para o dia a dia”.

C4 Cactus é o modelo com desconto na Gaulesa em outubro (Foto: Reprodução/Citroën)

Mais profissões beneficiadas
A empolgação com a taxa de desconto é justa. Na Eurovia, por exemplo, segundo Wilson Borges, os descontos superam a casa dos 10%. ”Para o produtor rural e também para o microempreendedor individual, o desconto que oferecemos nas picapes é de 15% e nas SUV’s é de 12%. No caso do motorista de aplicativo, 16% do valor total do veículo é descontado”.

Os descontos geram uma diferença considerável nos valores dos veículos que são comercializados junto à montadora. No caso da Frontier LE 4X4, picape da montadora Nissan, que custa, em média, R$ 216.890, com o desconto para os fazendeiros e clientes que tenham Mei, ela pode ser comprada por R$ 184.356,50: R$ 32.533,50 mais barata. Para o motorista de aplicativo, o Kick, SUV da mesma montadora, que custa R$ 95.340,00, pode ser adquirido, depois de aplicado o desconto, por cerca de R$ 80.085,60.

Fazendo a compra direta com intermediação da Gaulesa, concessionária da Citroën, o cliente também pode aproveitar descontos interessantes. Por lá, as promoções são definidas de maneira mensal e não há uma taxa fixa. É o que explica Augusto Salles, gerente de vendas. “Mensalmente, a montadora nos informa dos descontos oferecidos para essas classes, que são iguais tanto para produtores rurais como para mei’s e motoristas de aplicativo. O valor descontado mensal é variável. Às vezes, é de 12%, 15% ou mesmo 10%. Isso depende realmente do que a montadora nos passa. Por isso, o cliente que estiver interessado em algum veículo precisa ficar atento às oportunidades que surgem todo mês”, alerta.

Esse mês, o modelo que está com o desconto de 13% para as três classes é a linha do SUV C4 Cactus. O Citroën C4 Cactus Eat6, que custa R$ 106.990, pode sair por R$ 93.081,30.

Concessionárias também oferecem vantagens para outras classes trabalhadoras. Para os jornalistas, por exemplo, a Eurovia oferece um desconto de 16% na compra de um veículo, assim como é cedido para os motoristas de aplicativo. 

Na Gaulesa, a classe beneficiada também varia quanto ao mês e as parcerias que a Citroën fecha com determinadas empresas. Em outubro, por exemplo, os descontos de 13% são direcionados para funcionários do banco Santander e os aposentados da Petrobras. Então, se membros desses dois grupos optarem por comprar um modelo como o Aircross Live Automático, ao invés de desembolsar R$ 79.990,00, precisarão pagar R$ 69.591,30.

Documentos

Além dos documentos comprobatórios de praxe para compra de veículos como o Registro Geral (RG), o Cadastro de Pessoa Física (CPF), comprovante de residência, telefone e e-mail, cada uma das classes precisam levar consigo documentos que comprovem o pertencimento do cidadão ao grupo favorecido pelos descontos. 

Para os produtores rurais, Wilson explica a necessidade de um documento em específico. “O produtor rural que quiser aproveitar desse desconto oferecido na compra direta precisa apresentar para a concessionária o seu Imposto Territorial Rural (ITR), que comprova que ele é proprietário de uma área agrícola”, explica. 

Já para o microempreendedor individual, é necessário levar consigo todos os documentos pessoais já citados e também o contrato social da empresa. 

O motorista de aplicativo, por sua vez, precisa levar até a concessionária todos os documentos pessoais citados para produtores rurais e microempreendedores individuais e, além disso, apresentar o cadastro de atividade no aplicativo com pelo menos três meses de trabalho e a carteira de trabalho indicando que ele exerce a atividade de maneira remunerada. 

*Com orientação da chefe de reportagem Perla Ribeiro.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas