Cor, açúcar e Saulo! Festival das Crianças movimenta Passeio Público

entretenimento
12.10.2017, 20:30:00
Festival é totalmente gratuito e teve Saulo no primeiro dia de programação (Foto: Almiro Lopes)

Cor, açúcar e Saulo! Festival das Crianças movimenta Passeio Público

Festival gratuito continua no fim de semana, com Gilmelândia e outras atrações

“Sou o que acredito ser”. Esta pode ser a frase para resumir a sensação de quem colocou os pés, nesta quinta-feira (12), no Passeio Público de Salvador, onde aconteceu o Festival das Crianças, que prossegue amanhã e domingo, das 9h às 19h, com entrada gratuita. Heróis que salvaram o dia ao dar as mãos e princesas que não buscam por príncipes e nem por castelos, mas sim pela cama elástica mais próxima e pelo abraço mais apertado: assim foi feita a mistura do local, repleto de famílias coloridas. 

Com música, teatro e brinquedos, o espaço foi dominado pelos pequenos. Enquanto o Grupo Stripulia atuava e cantava, Felipe Portela, 11 anos, saía do touro mecânico, longe das crianças que dançavam como em um Carnaval, mas perto das que curtiam o ganhar de asas no pula-pula.  “Tomei uma queda mais cedo correndo aqui. Ralou, ó”, contou Felipe, apontando para o joelho machucado. “Mas nem liguei, vou brincar de novo”, exclamou o garoto. É, mesmo sem querer, ele fez lição e metáfora.

Assim como Felipe, Sara Santana estava no Passeio Público desde 11h. Às 16h, a mãe de Vitória, 10, disse que a filha não queria ir embora. “E nem eu. Está muito tranquilo, seguro e com disseminação de respeito. Precisamos de mais projetos assim que sejam fixos na cidade, não somente em datas comemorativas”, ponderou.

Jordan Batista levou a filha Bruna, 6, e Ana Paula Santos levou o cachorrinho Minduin, o filho de 10 anos e o marido para o evento. Ambos apontaram para a areia onde estavam os escorregadores, contando que foi a parte favorita das crianças. Mas nem só as crianças curtiram o momento. O casal Joelson Barreto, 33, e Jeiza Larissa, 34, foram ver os shows. “Estamos sentindo cheiro de infância”, afirmou Jeiza.  Assim como eles, Newton Patto Soares, estudante de jornalismo, foi para conferir o show de Saulo Fernandes, Pé de Maravilha. “Estou aqui para lembrar de não deixar a minha criança interior morrer”, afirmou Newton, lembrando que maturidade é não desistir de sentir.

O grupo de pessoas que dançavam na frente do palco virou rapidamente um bolinho grande de gente com a chegada do cantor, que abriu o show com  Lá Vem o Pato e levantou a plateia como pipoca de trio elétrico. Saulo cantou ainda Sítio do Picapau Amarelo, A Casa, Aquela, Felicidade (de Marcelo Jeneci) e outros sucessos de várias gerações da MPB. “Quebrem preconceitos mesmo. Olhem vocês, todos juntos brincando, a gente que estraga tudo nessas cabeças lindas. Preservem os índios e a natureza”,  bradou o artista em seus movimentos pelo palco.

A apresentação fez o público adulto gritar tanto quanto os pequenos. Um dos sucessos mais recentes de Saulo, Raiz de Todo Bem fez jus à sua mensagem alto-astral com uma plateia que trocava sorrisos e abraços enquanto ocorria a participação da Malezinho, banda mirim do Malê DeBalê. ‘Samba lelé precisava é de um abraço apertado’, cantou Saulo, mudando a letra da música para dar mais cor no ambiente. O festival vai contar com apresentações de Gilmelândia, Tio Paulinho e Magary, entre outras atrações, nos outros dias.


Festival das Crianças: Brincadeiras e Shows Gratuitos

Sábado
12h30 – Chorinho de Roda
15h – Espaço musical
16h – Quabales
17h – Gilmelândia

Domingo
12h30 – Eureka
15h – Tio Paulinho
16h – Canela Fina
17h  – Magary

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas