Coritiba perde para o Santos e é rebaixado para a Série B

esportes
13.02.2021, 21:45:00
Atualizado: 13.02.2021, 21:45:57
Santos de Marinho venceu e decretou o rebaixamento do Coritiba (Foto: Divulgação/ Santos)

Coritiba perde para o Santos e é rebaixado para a Série B

Time teve a queda decretada após derrota por 2x0

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O Santos voltou a vencer neste sábado pelo Campeonato Brasileiro. Fez 2 a 0 no Coritiba, na Vila Belmiro, manteve suas chances de vaga na próxima Copa Libertadores ao chegar aos 50 pontos, em oitavo lugar, e rebaixou o time paranaense. Com apenas 28 pontos, o vice-lanterna Coritiba se junta ao Botafogo no grupo que vai disputar a Série B. O Santos não vencia há seis partidas.

O próximo jogo do Santos é o clássico atrasado da 33ª rodada com o Corinthians, na próxima quarta-feira. O Coritiba recebe o Palmeiras no mesmo dia.

O Santos começou o jogo em cima do Coritiba. Nos primeiros dez minutos, o time paranaense praticamente não conseguiu passar do meio-campo. A marcação sob pressão dos santistas fazia os adversários tentarem afastar a bola de perto de sua área de qualquer maneira, sem se importar em tentar ficar com ela.

O time da Vila rondava a área do Coritiba e concluiu quatro vezes em perigo, antes da primeira boa chance efetiva, em um chute de fora da área de Luan Peres, que o novato goleiro Arthur defendeu, aos 12 minutos. Aí o Coritiba enfim respondeu, um minuto depois, com um chute também de fora da área de Hugo Moura que João Paulo rebateu. Na sequência, Matheus Bueno bateu raspando à trave.

A partir daí, o nível do jogo caiu bastante. As duas equipes tocavam muita a bola, mas sem objetividade. Ao Santos, com quatro jogadores de características ofensivas - Soteldo, Marinho, Kaio Jorge e Lucas Braga - e dois volantes sem características para organizar o jogo, Alison e Sandry, carecia de alguém para construir as jogadas.

Nessas horas, o talento pode fazer a diferença. E neste sábado Marinho fez: ele apanhou uma bola no meio-campo, tabelou com Lucas Braga - que devolveu de letra -, penetrou livre, pois a zaga do Coritiba havia se adiantado e, na saída de Arthur, deu um toque sutil, encobrindo o goleiro, aos 36 minutos.

Foi o 17º gol de Marinho no Brasileirão, empatando com Claudinho, do Red Bull Bragantino, na artilharia. O gol tirou de vez a confiança do Coritiba, e o Santos poderia ter ampliado ainda na primeira etapa da partida.

O Coritiba voltou com duas alterações para o segundo tempo, e um dos jogadores que entraram, Matheus Oliveira, quase empatou com um chute da entrada da área, logo a 1 minuto. João Paulo conseguiu espalmar, a bola bateu no travessão e saiu.

O time paranaense passou a dar sustos no Santos. Ricardo Oliveira perdeu boa chance, Robson chutou com perigo, Ricardo Oliveira errou uma cabeçada... Tudo isso em oito minutos. E o Santos, nada.

O técnico Cuca se irritou e mexeu no time, colocando Jean Mota no lugar de Lucas Braga, para dar mais força ao setor de meio-campo e tentar dar alguma poder de articulação ao time.

Mas o Santos continuava jogando mal, com um ou outro momento de maior inspiração. Em um deles, aos 20 minutos, Jean Mota quase faz o segundo após passe do fundo de Felipe Jonatan, mas Arthur fez nova boa defesa. Arthur parou Jean Mota de novo aos 24 minutos, em chute de fora da área.

O Coritiba, então, ensaiou nova pressão, e teve uma boa chance em falta cobrada por Matheus Oliveira.

O jogo caiu bastante, embora o Santos, com Jean Mota, tivesse um pouco mais de organização. Mas não foi isso que levou o time ao segundo gol e sim uma falta por trás de Robson em Marinho perto da área. Na cobrança de Jean Mota, Laércio dividiu com o goleiro e a bola sobrou para Marcos Leonardo marcar. O gol foi confirmado após revisão do VAR.

Com a partida definida, o Santos satisfeito com o resultado e o Coritiba nocauteado, o jogo de arrastou até o final.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas