Corpo de empresário morto em carro será sepultado em Fortaleza

salvador
20.05.2017, 14:44:00
Atualizado: 20.05.2017, 14:44:26

Corpo de empresário morto em carro será sepultado em Fortaleza

A vítima foi surpreendida por dois homens armados e baleada na cabeça

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O corpo do empresário e engenheiro Osório Abintes Assunção, 45 anos, será sepultado em Fortaleza, no estado do Ceará. Ele morreu depois de ser baleado quatro vezes na cabeça dentro de uma picape S10, na noite desta sexta-feira (19), na Boca do Rio. O empresário tinha, pelo menos, dois processos na Justiça - um deles por ameça - e existe a suspeita de que estivesse envolvido com atividades de jogos de azar. 

Marcas no vidro onde os bandidos atiraram (Foto: Betto Jr/ CORREIO)

Na tarde desta sexta-feira (19), o engenheiro deixou o trabalho e estava a caminho de casa quando foi morto. Ele dirigia uma picape, cinza, quando precisou parar em um semáforo, na Avenida Otávio Mangabeira, na Boca do Rio - próximo a antiga sede do Esporte Clube Bahia. 

Dois homens em uma motocicleta se aproximaram do carro pelo lado do motorista e pararam a moto ao lado do veículo. Um deles sacou uma arma e atirou diversas vezes contra o vidro da janela em que a vítima estava. Em seguida, os bandidos fugiram sem levar nada. Quatro balas acertaram a cabeça do engenheiro e uma delas atravessou o vidro da janela oposta. 

Uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) esteve no local, mas Osório morreu antes de receber os primeiros socorros. Os policiais não encontraram as capsulas das balas no local, mas acreditam que os bandidos usaram uma pistola para matar a vítima. Ainda não suspeita da autoria do assassinato e a motivação está sendo investigada. Osório era casado e deixou uma filha de 3 anos. 

Policial conta o dinheiro encontrado na carroceria da picape (Foto: Betto Jr/ CORREIO)

Na carroceria da picape onde o crime aconteceu os investigadores encontraram uma bolsa com R$ 7,2 mil em notas de R$ 50, 20, 10 e R$ 2. A carroceria estava coberta e a sacola estava entre pacotes de ração para animais. Segundo a polícia, o dinheiro seria usado para fazer o pagamento dos funcionários que trabalhavam na construtora da vítima. 

Osório é proprietário de três empresas e estava movendo, pelo menos, dois processos judiciais, um deles por ameaça sofrida em 2015. O outro processo é uma disputa por uma área de cerca de 4 mil m&³2;, do Loteamento Marisol II, em Lauro de Freitas, na Região Metropolitana de Salvador. O empresário morava nesse condomínio há cerca de dez anos e trabalhava no Rio vermelho.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas