Corredor brasileiro reclama de 'barulheira' e funk alto em base de atletas do COB

esportes
24.07.2021, 16:13:00
Atualizado: 24.07.2021, 16:30:03
(Reprodução)

Corredor brasileiro reclama de 'barulheira' e funk alto em base de atletas do COB

Altobeli Silva se queixou que não estava conseguindo descansar: 'Tremendo de raiva'

Atual campeão sul-americano e pan-americano dos três mil metros com obstáculos no atletismo, Altobeli da Silva fez um desabafo na noite do sábado (23), direto do Japão. O atleta reclamou do barulho e do "som de funk" na frente do seu quarto.

A delegação do atletismo fica hospedada em Saitama, em uma base somente com atletas brasileiros.

Altobeli disse que depois de dois períodos de treino estava com dificuldade para descansar por conta do barulho.

"Estou tremendo de tanta raiva, de tanto nervoso. Estou cansado, aí eu vejo uma barulheira na porta do meu quarto, som de funk, de atletas que treinam meio período, de atletas que vieram fazer participação aqui nos Jogos Olímpicos", diz. "Eu vim com propósito, com objetivo, por isso que estou no meu quarto respeitando a privacidade de cada um. É complicado, é nessa hora que você vê quem é quem".

O atleta disse que era preciso ter "consciência" e disse que chegou ao limite da paciência com a situação. "Nem fui jantar para priorizar meu descanso. Todo mundo é adulto, não precisa chamar atenção. Têm uns aí que precisam descer do salto alto. Têm coisas que têm que ser assim, no ferro e fogo. Na educação dão risada. Para chegar nesse ponto de eu falar é porque estourou a paciência. Todo ser humano tem limite. Eu acordei com o barulho", disse.

Essa é a segunda Olimpíada que ele disputa. No Rio, ficou na nona colocação na prova. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas