Histórias do Bem: “Correr mudou a minha vida”

saúde
08.08.2018, 06:00:00
Atualizado: 13.08.2018, 15:09:40
Em um ano, Viviane fez, de forma gradativa, a transição de simples caminhadas para corridas mais intensas ((Foto: Esporte Mundo/reprodução))
Conteúdo Patrocinado -

Histórias do Bem: “Correr mudou a minha vida”

Aos 43 anos, Viviane Leite deixou para trás 28kg e muitos problemas de saúde

Quando Viviane Leite criou coragem para integrar o grupo de corrida Hapvida +1k, não imaginava que ali começava um novo ciclo de sua vida. Há dois anos, ao se ver  com um diagnóstico de gordura no fígado, a consultora técnica industrial sentiu a necessidade de cuidar da saúde. 

Ao mesmo tempo em que procurou uma nutricionista e iniciou uma reeducação alimentar, Viviane passou a participar do grupo de corrida nas proximidades de casa, em Stella Maris. O início não foi dos mais estimulantes. Por estar com 83kg e há muito tempo sedentária, teve dificuldade até de fazer pequenas caminhadas.

“Lembro como se fosse hoje: 29 de agosto de 2016. Eu estava muito ansiosa. E só de andar, sentia dores. Descobri logo uma canelite [inflamação do osso da canela, seus tendões ou músculos] e precisei ter também acompanhamento de fisioterapeuta. Foi aí que  caí na real de que  não tinha apenas sobrepeso”, recorda.

 

 

A dificuldade não foi encarada como obstáculo. Só deu ainda mais força para que ela seguisse firme e forte no objetivo: melhorar a qualidade de vida. “O bacana do grupo é que um influencia e motiva o outro. Reparo que as pessoas entram no projeto e se transformam. Vão se descobrindo nas atividades e percebendo os limites do próprio corpo. Foi assim que aconteceu com ela”, lembra Weider Folha, educador físico que orientou Viviane neste novo estilo de vida.

Em um ano, ela fez, de forma gradativa, a transição de simples caminhadas para corridas mais intensas. O resultado foi imediato: exames médicos sem alterações. “Fico imaginando o que seria de mim se continuasse com a vida que estava levando. Sempre que eu pisava na balança, tinha um quilo a mais”, conta a consultora técnica industrial, que hoje, aos 43 anos, está pesando 55kg – 28 a menos de dois anos atrás.

Viviane Leite está pesando 55kg – 28 a menos de dois anos atrás (Foto: arquivo pessoal)

Bem-estar
A disposição para trabalhar também mudou. Por ter deixado para o passado a apneia do sono e as insônias, os dias ficaram mais produtivos. “Trabalho muito mais disposta. Sem contar com a facilidade que agora tenho para subir e descer as torres das empresas do Polo. Faço as mesmas visitas técnicas, que antes eu cansava muito, e não sinto mais nada”, relata.  

Mas o bem-estar vai muito além de uma melhora na saúde corporal. É que quando se pratica exercícios físicos, o organismo libera endorfina, substância que traz a sensação de bem-estar e alegria, ajudando a reduzir a ansiedade e o estresse. “Além disso, muitos outros benefícios psicológicos estão associados à atividade física, como o aumento da autoestima, da disposição, e a melhora na memória e concentração. E quando realizadas em grupo, as atividades físicas ajudam também no processo de socialização do indivíduo”, explica Elaine Silva Souza, psicóloga do Hapvida. 

Há dois anos, ao se ver  com um diagnóstico de gordura no fígado, a consultora técnica industrial sentiu a necessidade de cuidar da saúde (Foto: arquivo pessoal)

Se antes Viviane ficava em casa todo o tempo que restava fora do trabalho, hoje aumentou o círculo de amizade e até criou um perfil na rede social instagram (@corravivicorra) para apoiar e estimular mudanças de hábitos. “Tem gente que vem me pedir conselho. A gente se sente até mais responsável. Você acaba sendo uma referência”, conta, orgulhosa. 

Agora, além de correr, Viviane também pedala e faz musculação. Está se preparando para ser uma triatleta. “Correr mudou a minha vida. A gente termina de correr e sente uma felicidade tamanha. É inexplicável. Nunca imaginei que iria tomar esta proporção que tem hoje. Eu não consigo mais enxergar minha vida sem fazer algum tipo de exercício físico. Um dia que não faço nada, parece que está faltando alguma coisa”, comenta a atual atleta, que somente neste ano já conquistou quatro pódios em competições de corrida. 

Agora, além de correr, Viviane também pedala e faz musculação. Está se preparando para ser uma triatleta (Foto: Esporte Mundo/reprodução)

Autoestima
Ela já não se identifica mais, em muitos aspectos, com a Viviane que foi há dois anos. “Nunca tive uma preocupação em ser gorda. Mudei meus hábitos por causa da minha saúde mesmo, mas é incrível como as pessoas passaram a me enxergar de uma forma diferente. No final das contas, hoje eu me sinto muito melhor”, confessa. 

Coisas aparentemente simples ganharam grandes proporções. “Não tinha coragem nem de tirar foto. Quando tirava, era apenas do rosto. Antes eu gostava de passar despercebida, achava que não ligava para isso, mas no fundo, no nosso íntimo, a gente acaba ligando. Outro dia estava correndo na orla e tirei a blusa. Fiquei só de top e muito feliz com isso. Até gosto de me exibir. Nunca mais quero ir para a praia de maiô e camiseta por cima para me esconder. Me sinto mais jovem, mais bonita, mais tudo”, diz, aos risos.

Hapvida +1K oferece acompanhamento gratuito em exercícios físicos
Para começar uma atividade física, muitas vezes é preciso de um estímulo. Há dois anos, o Hapvida +1K tem oferecido gratuitamente um programa de assessoria esportiva para estimular a busca por mais qualidade de vida e bem-estar. Viviane Leite é uma das 1.800 pessoas beneficiadas com o programa, que, em Salvador, funciona em seis locais diferentes: Stella Maris, Patamares, Boca do Rio, Bonocô, Rio Vermelho e Ribeira. Para se inscrever, basta ter mais de 18 anos, preencher cadastro no site www.hapvida.com.br/mais1k e levar um checkup médico com a liberação para a prática do exercício físico. “Nosso objetivo é ter o esporte como ferramenta de saúde”, destaca Weider Folha, educador físico do núcleo de Stella Maris.


ENTREVISTA COM Railton Cordeiro (Cardiologista, médico do esporte e nutrólogo do Hapvida)

Qual o primeiro passo para quem quer começar um exercício físico?
Procure sempre orientação do seu médico. Fazer exames preliminares evita lesões cardiovasculares e ortopédicas. Não adianta ficar pesquisando apenas no Google.

Existe um exercício físico que é mais recomendado?
Não existe um esporte que é pior ou é melhor. Tem que levar em consideração a condição e o gosto do paciente.

A partir de qual idade pode fazer atividade física?
Nasceu, já pode fazer.

E para os idosos? Há regras?
Não indico apenas o aeróbico. É importante fortalecer a musculatura e produzir massa magra com musculação.

Existe diferença entre atividade física e exercício físico?
Atividade física é tudo que você pode fazer sem uma determinada sequência como, por exemplo, varrer a casa. Exercício físico é tudo que se faz com frequência, com coordenação, buscando um objetivo.

Qual a importância da atividade/exercício físico na vida de uma pessoa?
Não só pelo resultado que pode te dar no corpo, mas por melhorar os índices laboratoriais, a qualidade do sono e da vida. Se uma pessoa tem patologias como diabetes e hipertensão, vai melhorar consideravelmente. E mesmo que não tenha, no mínimo vai se sentir mais disposto.


PORQUE CORRER FAZ BEM

Exercita a cabeça

Estimula o raciocínio. Correr regularmente também melhora a memória e outras funções cognitivas

Melhora o sono

Trotes de 20 a 30 minutos em dias alternados reduzem pela metade o tempo para pegar no sono - além de aumentar em quase 60 minutos a quantidade de horas dormidas

Previne doenças

Correr fortalece o sistema imunológico e eleva a produção de células que atacam bactérias e vírus

Aumenta autoestima

Há mais ligações de receptores de endorfina, um analgésico natural, em quem corre do que em praticantes de outras atividades físicas

O Estúdio Correio produz conteúdo sob medida para marcas, em diferentes plataformas.