Corrida Circuito das Estações é a primeira sem obrigatoriedade de máscara na pandemia

esportes
03.04.2022, 16:51:00
(Moysés Suzart/CORREIO)

Corrida Circuito das Estações é a primeira sem obrigatoriedade de máscara na pandemia

Participantes da prova aproveitaram o novo decreto, que permite não usar o acessório em locais abertos

É uma sensação estranha, e desta vez ninguém havia esquecido a máscara. Era uma aglomeração de sorrisos despidos propositalmente no Circuito das Estações, etapa outono, realizada neste domingo (3), em Piatã. Foi o primeiro evento aberto desde a liberação de circular sem máscara em ambientes abertos na Bahia, após o decreto do governador Rui Costa publicado no sábado. Tão recente e novo que nem todo mundo sabia que estava liberado no evento de corrida na orla de Salvador.

“Liberou? Ah, foi ontem, né? Não vi os jornais. Nossa, então dá licença que eu vou tirar. Por isso achei estranho o número de pessoas sem máscara. Finalmente posso ver o sorriso novamente do povo!", disse David Silva, que participou da corrida de 5 quilômetros. "Eu não coloquei para correr nos 10 (quilômetros) porque não aguentava correr tanto com aquele pano na cara”, completou.

No palco formado na praça de Piatã, o locutor da corrida fazia questão de divulgar o decreto para os desavisados. “Gente, o governo liberou. Vamos aproveitar! Podem ficar sem máscara em ambientes abertos. Vamos aproveitar!”, gritava. Vagner Cardoso até sabia da liberação,  mas foi uma das poucas pessoas que preferiram manter a proteção contra a covid-19. “Eu até sabia, mas preferi continuar com a máscara aqui na corrida, pelo menos até antes da largada. Naquele momento fica muita aglomeração. Na hora que começar a correr eu tiro”, comentou Vagner, que viu com bons olhos a liberação. “É um avanço. Creio que em ambientes abertos, evitando aglomerar, já estava na hora. Ninguém aguentava mais, né?”.

Antes da prova começar, pouco se via aglomeração - apenas em grupos de corrida e depois no curral da largada. Neste momento, era possível ver algumas pessoas sacando a máscara do bolso e colocando no rosto. “Ainda estou todo na bruxa, bicho. Foram dois anos usando esta zorra. Quando uma turma começa a se aproximar de mim, coloco a máscara. Vai demorar para me acostumar”, explicou Clarindo, de 57 anos. Ele estava sem máscara e decidiu colocar no momento da largada.

Após duas horas de provas, em circuitos de 5, 10 e 13 quilômetros, a primeira corrida após a desobrigação do uso da máscara terminou com um festival de sorrisos e suor. “Tirei uma cacetada de fotos, vou procurar na internet. Gente, como é gostoso correr com sorriso no rosto. Até estranhei no início, parecia que estava nua, mas aos poucos fui me acostumando e saí distribuindo sorrisos quando passava pelos fotógrafos da prova. O que não vai faltar é dente nesse álbum”, brinca Isadora Mendes, de 50 anos.

Se antes da prova ainda era possível ver uma minoria com máscara, com o final da etapa o equipamento de proteção contra a covid-19 sumiu do rosto da turma. “Eu até usei no começo, mas agora não vou usar, não. Ainda temos que tomar cuidado, pois a pandemia não acabou. Mas é libertador poder mostrar o rosto assim depois de dois anos”, destacou Cleide, sobre o evento. “Ver o sorriso da turma é um alento depois de tanto tempo neste pânico. Eu até melhorei meu tempo! Fiz 10 km em uns cinco minutos a menos do costume. Agora vou tomar uma cervejinha com a turma. Terei que colocar a máscara, pois será num lugar fechado, mas já deu pra tirar uma lasquinha”, comemorou.

Ainda não existe previsão sobre a desobrigação do uso de máscaras em ambientes fechados - incluindo transporte público, como ônibus e metrô. A liberação é válida em locais abertos.

Para acessar os resultados da prova, clique aqui.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas