Criança de 11 meses morre após ser atropelada pelo próprio pai em São Paulo

brasil
30.03.2015, 15:32:00
Atualizado: 30.03.2015, 15:34:36

Criança de 11 meses morre após ser atropelada pelo próprio pai em São Paulo

Comerciante não viu a filha engatinhar para a frente do automóvel

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Criança de 11 meses morre após ser atropelada
pelo próprio pai em São Paulo.

(Foto: Reprodução/Facebook)

Uma criança de 11 meses morreu após ser atropelada pelo próprio pai na tarde deste sábado (28), em Praia Grande, no litoral de São Paulo.

De acordo com informações da Polícia Civil, o comerciante Jhoney da Silva Lima, 32 anos, entrava na garagem de seu estabelecimento e não percebeu quando a filha engatinhou para a frente do carro.

A mãe da menina, que não teve o nome divulgado, abria o portão e também não viu a movimentação da filha. De acordo com o Boletim de Ocorrência registrado, o caso aconteceu por volta das 13h.

Ainda segundo a polícia, a criança chegou a ser socorrida com vida, levada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e, em seguida, para um hospital da cidade. A menina, entretanto, não resistiu aos ferimentos e morreu por volta das das 18h.

Segundo o delegado Alexandre Comin, o pai deve ser indiciado por homicídio culposo, quando não há intenção de matar.

O delegado explica que, neste caso, caberia o flagrante, mas o Código de Trânsito Brasileiro estabelece que quando a vítima é socorrida pelo motorista, o flagrante cai. "Será instaurado um inquérito, os pais da criança vão ser chamados para depor posteriormente, mas, neste caso, caberá o perdão judicial", disse Comin ao site G1.

Desespero
De acordo com informações da polícia, testemunhas afirmam ter ouvido gritos após o atropelamento da menina na tarde de sábado (28). Segundo vizinhos do comércio, o bairro está de luto. Nenhum dos moradores ouvidos pelo site G1 acompanhou o momento exato do acidente, mas diversos afirmam que ouviram os gritos e pedidos de socorro dos pais.

"Saí para a rua para tentar saber o que aconteceu. Só pude ver a criança sendo carregada pela mãe e o pai procurando por ajuda. Eles correram para um hospital, e o pai procurava desesperado alguém para tomar conta do comércio", disse a dona de casa Rose Silva Brandão ao G1.

Os moradores contaram ainda que a relação da família, que possui outras duas filhas, era ótima. O casal planejava comemorar o aniversário da bebê, que seria no próximo dia 15 de abril. "Por causa do comércio, todos tinham um certo contato com a família. Há alguns meses, eles disseram que já estavam arrumando a festa para a criança. Foi muito triste. Estamos todos chocados", disse a vizinha.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas
  • Assinaturas: 71 3480-9140
  • Anuncie: 71 3203-1812
  • Ache Aqui Classificados: 71 3480-9130
  • Redação: 71 3203-1048