De virada, Flamengo vence Al Hilal e está na final do Mundial

esportes
17.12.2019, 16:40:00
Atualizado: 17.12.2019, 18:33:09
O Flamengo venceu o Al Hilal e conseguiu vaga na final do Mundial de Clubes (Foto: Fifa/Divulgação)

De virada, Flamengo vence Al Hilal e está na final do Mundial

Time sai atrás no marcador, consegue vitória por 3x1 e volta à decisão do torneio após 38 anos

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O roteiro da semi contra o Al Hilal, pelo Mundial de Clubes, parecia até com a final da Libertadores: o Flamengo indo ao vestiário com derrota parcial de 1x0. Mas, se naquele duelo com o River Plate, o empate e a virada aconteceram só no finzinho, o desfecho foi menos dramático nesta terça-feira (17), no Estádio Internacional Khalifa, em Doha, no Catar.

Com ótima atuação de Bruno Henrique, o rubro-negro dominou o segundo tempo e assegurou o placar 3x1. Após 38 anos, o Fla está de volta à grande decisão do Mundial.


O carioca, agora, espera seu rival. A outra semifinal está marcada para essa quarta-feira (18), às 14h30, entre o Liverpool e o Monterrey, do México. Possibilidade de reedição da final de 1981, em que o time brasileiro ganhou do inglês por 3x0. A final será sábado (21), às 14h30. Os dois jogos também serão no Khalifa.

Entre o Flamengo e o Al Hilal, foram os sauditas quem começaram melhores. Conseguiam se impor enquanto os brasileiros tinham dificuldades na marcação. Ainda assim, Gerson teve uma ótima chance de abrir o placar aos 14 minutos, após uma cobrança de escanteio, mas finalizou para fora.

A resposta do Al Hilal veio três minutos depois. Giovinco começou a jogada recebendo pelo meio e enviou para Al-Buryak, na direita, que chutou rasteiro. Al-Dawsari, de frente e livre, bateu, a bola pegou em Pablo Marí e foi para o fundo do gol.

O placar favorável aos sauditas fez o duelo mudar de cara. Enquanto o Al Hilal preferiu recuar, o Flamengo passou a ficar nervoso. Tentava atacar, mas errava muito e não conseguia boas oportunidades.

Na volta para o segundo tempo, o rubro-negro acordou. Aos três minutos, em uma jogada que envolveu seus três goleadores, Gabigol acionou Bruno Henrique, que rolou para Arrascaeta apenas empurrar para o fundo das redes - tudo igual em Doha.

Assim como em Lima, na final da Libertadores, Diego entrou em campo e ajudou o time a conseguir a virada. O camisa 10 abriu para Rafinha, que cruzou para Bruno Henrique deixar o dele de cabeça: 2x1.

Se o placar já estava favorável aos flamenguistas, ficou ainda melhor quatro minutos depois - e com um gol vindo do pé dos rivais. Diego recebeu na entrada da área e tocou para o camisa 27, na esquerda. Bruno Henrique invadiu a área e tentou cruzar para Gabigol, mas Al-Bulayhi foi quem mandou contra a própria rede. No fim, o peruano Carrillo ainda acabou expulso por entrada dura em Arrascaeta.

Flamengo 3x1 Al Hilal
Flamengo: 
Diego Alves; Rafinha, Rodrigo Caio, Pablo Mari e Filipe Luís; Willian Arão, Gérson (Diego), Arrascaeta (Piris da Motta) e Everton Ribeiro; Bruno Henrique (Vitinho) e Gabriel. Técnico: Jorge Jesus.
Al Hilal: Al Muaiouf; Al Burayk, Hyunsoo Jang, Ali Albulayhi e Al Shahrani; Cuéllar, Carlos Eduardo, Aldawsari (Al Abid), Carrillo e Giovinco (Omar Kharbin); Gomis (Otayf). Técnico: Razvan Lucescu.
Gols: Salem Aldawsari, aos 17 minutos do primeiro tempo. Arrascaeta, aos três, Bruno Henrique, aos 32, e Ali Albulayhi (contra), aos 35 minutos do tempo.
Árbitro: Ismail Elfath (Estados Unidos).
Cartões amarelos: Bruno Henrique, Pablo Marí e Diego, do Flamengo; Giovinco, Ali Albulayhi e Salem Aldawsari, do Al Hilal.
Cartão vermelho: André Carillo do Al Hilal.
Renda: Não disponível.
Público: 21.588 torcedores.
Local: Estádio Internacional Khalifa, em Doha (Catar).

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas