"Diabo Loiro" deve fazer sua estreia pelo Juazeirense em jogo contra o Vitória

esportes
11.03.2014, 10:41:00
Atualizado: 11.03.2014, 10:46:03

"Diabo Loiro" deve fazer sua estreia pelo Juazeirense em jogo contra o Vitória

O presidente da Juazeirense, Roberto Carlos, trouxe Júnior para “que ele coloque a bola pra dentro”

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

O Diabo Loiro está de volta ao futebol baiano. Depois de defender Vitória e Bahia, Júnior assinou contrato com a Juazeirense para a sequência do estadual. Aos 37 anos, o atacante se mostra motivado para voltar a fazer o que mais gosta: brocar os adversários.

“Tinha saído do ABC no ano passado. Estava com uns problemas particulares e resolvi parar um tempo do futebol. A família e amigos pediram pra voltar. Botei na cabeça que iria voltar este ano. Apareceu o Tiradentes que fez um convite pra jogar os cinco jogos. Comecei brocando. Broquei contra o Fortaleza, Ferroviário... Acabou o campeonato lá e apareceu a Juazeirense. Fechei por um mês, dois jogos e talvez as semifinais”, contou.  

Foto: Evandro Veiga

Hoje, Júnior já irá treinar com os novos companheiros. Domingo, tem confronto contra o Vitória, clube que marcou a vida do Diabo Loiro. E ele está ansioso para reencontrar o rubro-negro.  “No Tiradentes, joguei contra o Fortaleza, que foi o clube que comecei. Broquei. Aqui não vai ser diferente. Eu quero demonstrar para todos que o Junior está em boas condições. Jogar contra o Vitória é especial, tenho respeito muito grande, gratidão. Tanto quanto pelo Bahia, que também tenho o respeito e a felicidade de ter passado. Domingo vamos jogar e se marcar, vou comemorar”, revela.

 O presidente da Juazeirense, Roberto Carlos, trouxe Júnior para “que ele coloque a bola pra dentro”. O Diabo Loiro está preparado.  “Pressão pra mim não existe. Tanto que eu saí do Vitória e fui para o Bahia. Isso foi pressão. Vou assumir a responsabilidade mesmo. Pela experiência que tenho. Espero que estreie com o pé direito, ou melhor o esquerdo: a canhota que é a boa”, brinca.

Balanço
Júnior relembra com carinho a passagem pela Toca do Leão em 2010 e acha que teve um bom desempenho pelo Bahia entre 2011 e 2012. “Em momento algum eu consegui enxergar a grandeza do meu feito, que foi fazer 30 gols. O que eu fico triste pela passagem foi pelo descenso. No Bahia, fiz 20 gols em um ano e meio. Foi uma média boa. Não tive muita sequência de  jogos, mas acho que nas duas equipes o Diabo Loiro representou e fez gols importantes. Me sinto honrado”, completa.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas