Djokovic quer reduzir número de jogos para focar em Grand Slams

esportes
21.02.2021, 16:25:00
Djokovic ao total de 18 títulos de Grand Slam (Foto: William West/AFP)

Djokovic quer reduzir número de jogos para focar em Grand Slams

"Tenho que ser mais inteligente na hora de fazer meu calendário', disse o sérvio após faturar a 9ª taça do Aberto da Austrália

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Após conquistar seu nono título do Aberto da Austrália neste domingo (21) com a vitória na final sobre Daniil Medvedev, o sérvio Novak Djokovic revelou que fará algumas mudanças em seu planejamento nesta temporada. O número 1 do mundo afirmou que vai reduzir o número de torneios de que participará com o objetivo de focar na disputa dos Grand Slams.

"Não acho que estou envelhecendo, mas tenho que ser mais inteligente na hora de fazer meu calendário. Vou dedicar atenção especial aos torneios de Grand Slam, já que meu objetivo principal é ganhar o máximo que puder", explicou. "A outra razão é que eu não posso trazer minha família comigo por conta da pandemia", acrescentou Djokovic.

Com a nona conquista em Melbourne, sendo três consecutivas, o número 1 do mundo avaliou que vive "uma história de amor" com o torneio australiano disputado em quadras rápidas e o primeiro Grand Slam da temporada. Ele passou por alguns percalços em sua trajetória vitoriosa.

"A nossa história de amor continua. Não foi nada fácil este ano, foi como uma montanha russa", resumiu. "Quero agradecer especialmente ao meu fisioterapeuta (o argentino Ulises Badio), por tudo aquilo que fez", comentou, referindo-se à recuperação da lesão abdominal sofrida na terceira rodada no duelo contra o americano Taylor Fritz.

"Quando era pequeno, sonhava em ser o número um e vencer em Wimbledon. Mas agora, olhando as coisas em perspectiva, posso dizer que Rod Laver Arena é meu lugar", completou o sérvio, que chegou a 18 títulos de Grand Slam e ficou a dois de igualar Roger Federer e Rafael Nadal, os maiores campeões.

Há 311 semanas na liderança do ranking da ATP, um recorde, Djokovic elogiou Medvedev e falou sobre a nova geração de tenistas que tenta desbancar o domínio estabelecido por ele, Nadal e Federer nos últimos anos.

"Gosto muito do Daniil. É muito boa pessoa e em campo é um dos adversários mais difíceis que enfrentei na minha vida. É uma questão de tempo até conquistar um torneio do Grand Slam, mas por favor espera mais uns anos", brincou. Temos que dar mérito ao que ele fez nos últimos meses, ao conseguir 20 vitórias consecutivas", destacou o campeão do Aberto da Austrália.

O sérvio também parabenizou a organização "pelo torneio bem-sucedido e o grande esforço para tornar o campeonato possível". Daniil Medvedev não hesitou em reconhecer o mérito do rival e o exaltou como pessoa.

"Mas vou tentar fazer melhor do que ele em quadra. Parabéns ao Novak e à sua equipe. Nove títulos do Aberto da Austrália é fantástico e provavelmente não será o último. A primeira vez que treinei com ele, eu era 500 do mundo e muito tímido e ele era número um e tinha ganhado Wimbledon. Pensei que não ia falar comigo, mas falou como um amigo e fiquei surpreendido, porque nunca mudou, quer eu fosse 600 ou número quatro do mundo. É uma grande pessoa", enalteceu o jovem vice-campeão, de 25 anos.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas