Documentário Edna vence XVII Panorama Internacional Coisa de Cinema

entretenimento
09.12.2021, 05:50:00
O documentário Edna, de Eryk Rocha (Foto: Divulgação)

Documentário Edna vence XVII Panorama Internacional Coisa de Cinema

Filme do cineasta Eryk Rocha é destaque na mostra principal do festival, que terminou na noite de quarta (8); confira ganhadores

Edna, de Eryk Rocha, foi o longa-metragem premiado na Competitiva Nacional do XVII Panorama Internacional Coisa de Cinema, que anunciou os filmes vencedores na noite de quarta  (08/12), no Cine Metha-Glauber Rocha. O documentário apresenta a personagem homônima, uma testemunha do arruinamento das terras em torno da rodovia Transbrasiliana, na Amazônia brasileira.

Filmada em preto e branco, a obra escolhida pelo júri formado pela jornalista Leila Bourdoukan, o produtor Pedro Pimenta e o artista multidisciplinar Mickaël Gaspar, resgata as memórias de Edna e as funde com seu imaginário de poeta, a partir de cadernos escritos ao longo da vida. O trio elegeu o curta Terra Nova, de Diego Bauer, como melhor curta.

Na Competitiva Baiana, a crítica Camila Vieira, o roteirista Phelipe Caetano e a diretora Jo Serfaty premiaram  Açucena, de Isaac Donato, como melhor longa. Já o prêmio de melhor curta ficou com Um Transe de Dez Milésimos de Segundos, de Jamile Cazumbá.

Com uma edição em formato híbrido, o festival novamente convidou o público das sessões on-line para votar nos seus filmes preferidos. O Júri Popular elegeu a produção baiana Receba!, de Pedro Perazzo e Rodrigo Luna, como melhor longa nacional; e o também baiano “Memórias Perdidas”, de Sabrina Andrade, como melhor curta.

O Júri Jovem, formado por participantes da oficina de Crítica oferecida pelo festival, premiou Genocídio e Movimentos, de Andreia Beatriz, Hamilton Borges dos Santos e Luis Carlos de Alencar, como melhor longa da Competitiva Baiana; escolhendo “5 Casas”, de Bruno Gularte Barreto, na Competitiva Nacional.

Os escolhidos pelo Júri Oficial nas competitivas Baiana e Nacional e o curta nacional contemplado pelo Júri Jovem receberão prêmios em serviços da Mistika, Naymar CiaRio, Griot, Ateliê Bucareste, Marcelo Benedicts e Napoleão Cunha.

Uma realização da produtora Coisa de Cinema, o XVII Panorama ocorreu de 1º a 8 de dezembro, com patrocínio do Instituto Flávia Abubakir e apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia.

Confira todos os vencedores:

JÚRI OFICIAL

Competitiva Nacional

● Melhor Longa: Edna, de Eryk Rocha (prêmio em serviços da Mistika e de Naymar CiaRio)
● Menção Especial: Mata, de Fábio Nascimento e Ingrid Fadnes.
● Melhor curta: Terra Nova, de Diego Bauer (prêmio em serviços da Mistika, da Naymar CiaRio e do Ateliê Bucareste)
● Menção Especial: Sideral, de Carlos Segundo

Competitiva Baiana
● Melhor Longa: Açucena, de Isaac Donato (prêmio em serviços da Griot)
● Melhor Curta: Um transe de dez milésimos de segundos, de Jamile Cazumbá (prêmio em serviços da Griot, Marcelo Benedicts, Napoleão Cunha e Ateliê Bucareste)
● Menção Honrosa: Via Láctea, de Thiago Almasy

Competitiva Internacional
● Melhor Longa: O outro lado do rio, de Antonia Kilian
● Menção Honrosa: Creche Noturna, de Moumouni Sanou
● Melhor curta: Ensaio, de Michael Omonua
● Menção Honrosa: Fera, de Hugo Covarrubias
● Destaque para Nomawonga Khumalo, pela direção de Five Tiger

JÚRI JOVEM

Competitiva Nacional
● Melhor Longa: 5 Casas, de Bruno Gularte Barreto
● Melhor Curta: Terra Nova, de Diego Bauer (prêmio: bolsa de estudos no Ateliê Bucareste)
● Prêmio Especial: Edvana Carvalho, pela atuação em Receba!

Competitiva Baiana
● Melhor Longa: Genocídio e Movimentos, de Andreia Beatriz, Hamilton Borges dos Santos e Luis Carlos de Alencar
● Melhor Curta: In-passe, de Claudio Machado e Henrique Filho

JÚRI APC

Competitiva Nacional
● Melhor Longa: A felicidade das coisas, de Thais Fujinaga
● Menção Honrosa: Mata, de Fábio Nascimento e Ingrid Fadnes.
● Melhor Curta: Memórias perdidas, de Sabrina Andrade
● Menção Honrosa: Matança Popular Brasileira, de Bianca Rêgo

Competitiva Baiana
● Melhor Longa: Açucena, de Isaac Donato
● Menções Honrosas:
Genocídio e Movimentos, de Andreia Beatriz, Hamilton Borges dos Santos e Luis Carlos de Alencar
Àkàrà no fogo da intolerância, de Claudia Chávez
● Melhor Curta: Mamãe, de Hilda Lopes Pontes e Klaus Hastenreiter
● Menções Honrosas:
Mãe Solo, de Camila de Moraes
Quantos mais?, de Lucas de Jesus

JÚRI BRADA

Competitiva Nacional
● Melhor Longa: A felicidade das coisas, de Thais Fujinaga
● Melhor Curta: Estio_rito em lapso, de Alana Falcão, Melissa Figueiredo e Neemias Santana.
Competitiva Baiana
● Melhor Longa: Àkàrà no fogo da intolerância, de Claudia Chávez.
● Melhor Curta: Iauaraete, de Xan Marçall

JÚRI POPULAR
Competitiva Nacional
● Melhor Longa: Receba!, de Pedro Perazzo e Rodrigo Luna
● Melhor Curta: Memórias Perdidas, de Sabrina Andrade

Competitiva Baiana
● Melhor Longa: Genocídio e Movimentos, de Andreia Beatriz, Hamilton Borges dos Santos e Luis Carlos de Alencar
● Melhor Curta: Voyá, de Fanny Oliveira

Competitiva Internacional
● Melhor Longa: Libório (República Dominicana/Porto Rico/Catar), de Nino Martínez Sosa
● Melhor Curta: Tenho medo de esquecer seu rosto (Egito/ França/Catar/Bélgica), de Sameh Alaa
 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas