"É um absurdo", diz mãe de namorada de Cristiano Araújo sobre fotos de acidente

Famosos
26.06.2015, 18:49:00

"É um absurdo", diz mãe de namorada de Cristiano Araújo sobre fotos de acidente

Ela disse que não tem acessado o celular, mas que familiares receberam as imagens

A mãe de Allana Moraes, namorada de Cristiano Araújo, disse ao site EGO na tarde desta sexta-feira (26) que não tem interesse na conclusão das investigações que apuram a causa do acidente que matou o casal na última quarta (24). "Acreditamos que tenha sido um acidente", declarou Miriam Moraes. 

Cristiano Araújo e Alana (Foto: Reprodução/ Facebook)
Cantor de 29 anos e namorada de 19 morreram em acidente de carro na quarta-feira (24).
(Foto: Reprodução/Instagram)

Miriam comentou também do vazamento de fotos e vídeos do momento da preparação do corpo de Cristiano e do corpo da filha, morta no local do acidente de carro, em Goiás. Ela disse que não tem acessado o celular, mas que familiares receberam as imagens. "Deletaram na hora, claro. Isso é um absurdo", disse.

Cantor de 29 anos e namorada de 19 morreram em acidente de carro na quarta-feira (24).
(Foto: Divulgação/PRF)

Investigação
Os funcionários que gravaram o vídeo mostrando a preparação do corpo de Cristiano Araújo serão indiciados pela polícia e podem receber pena de até três anos de prisão. A clínica onde eles trabalham também divulgou, em nota enviada à imprensa, que eles serão demitidos por justa causa.  

Uma terceira pessoa que teria compartilhado o vídeo nas redes sociais também poderá ser indiciada. As imagens, que foram divulgadas nas redes sociais ontem (25), causaram revolta nos fãs do sertanejo, que reclamaram na página do Facebook da Clínica Oeste, para onde o corpo de Cristiano foi levado.

Os funcionários, identificados como Marco Antônio Ramos, 41 anos, e Márcia Valéria dos Santos, 39, serão indiciados pela Polícia Civil de Goiás. Eles já prestaram depoimento sobre o caso e foram liberados. 

Leia as notícias sobre o acidente que matou Cristiano Araújo e Allana Moraes

Os técnicos em tanatopraxia (procedimento de retirada dos fluidos do corpo para o enterro) vão responder por vilipêndio a cadáver, um crime que consiste em "profanar, desrespeitar e ultrajar o cadáver". Eles também serão demitidos por justa causa. 

Se condenados, eles podem pegar de um a três anos de detenção e multa. De acordo com o titular do 4ª Distrito Policial de Goiânia, Eli José de Oliveira, a funcionária que aparece nas imagens admitiu ter errado ao gravar o vídeo, e considerou sua própria atitude um "vacilo". 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas