Edvana Carvalho fala sobre sexo, filhos e velhice aos 50 anos

entretenimento
06.12.2019, 05:55:00
(Foto: Diney Araújo/Divulgação)

Edvana Carvalho fala sobre sexo, filhos e velhice aos 50 anos

Atriz de Irmãos Freitas, do Bando de Teatro Olodum e de Malhação estreia espetáculo solo nesta sexta-feira (6)

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Sexo, envelhecimento, filhos e relacionamentos da mulher negra aos 50 anos. Esse é o mote do espetáculo Aos 50 – Quem me aguenta?, solo da baiana Edvana Carvalho, que estreia nesta sexta-feira (6), no Cabaré dos Novos do Teatro Vila Velha. Atriz do Bando de Teatro Olodum, da novela Malhação e da série Irmãos Freitas, Edvana faz uma abordagem crítica da sociedade guiada pela valorização da juventude.

“Essa peça vem para comemorar meus 35 anos de teatro e minha entrada na meia-idade. Estou vivendo outra fase na minha vida, que também é de total empoderamento. Já me tornei avó, gosto de dizer que me tornei vovógata!”, conta Edvana, 51 anos, bem-humorada. Sozinha no palco pela primeira vez, a atriz conta que este foi um desafio que se impôs para falar sobre a mulher viu crescer nos últimos anos.

Temas como machismo, misoginia, racismo e outros preconceitos são abordados no espetáculo, que tenta quebrar paradigmas para mostrar novas possibilidades do feminino na sociedade contemporânea. Dirigida por Marcelo Praddo, a peça também destaca assuntos como a síndrome do ninho vazio e a representatividade negra.

“Acredito que devemos estimular sempre a ideia de que meninos e meninas negros, oriundos da periferia, como eu, podem ser atores e atrizes. Podemos estar em todos os lugares que quisermos e a cor da minha pele, origem e etnia, não podem ser entraves para isso”, defende a protagonista, que assina o texto da peça.

Para o diretor Marcelo Praddo, falar sobre a maturidade, a passagem do tempo e seu significado é sempre enriquecedor. “Além do tema principal, que é o relato de uma mulher sobre sua experiência ao chegar aos 50 anos, outro componente importante é que estamos falando de uma atriz negra”, conta.

Assim como Edvana, Praddo acredita que esta abordagem faz toda a diferença, já que “acrescenta pontos importantes e delicados à discussão, como preconceito, discriminação e a dificuldade de sobreviver de arte num país como o nosso”.

Serviço
O quê: Edvana Araújo no espetáculo solo Aos 50 – Quem me aguenta?
Onde: Cabaré dos Novos - Teatro Vila Velha (Passeio Público, Av. Sete de Setembro, s/n | 3083-4600)
Quando: Sextas e sábados, às 20h, e aos domingos, às 19h. Até dia 22
Ingresso: R$ 40 | R$ 20

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas