"Elas só pediram por Deus", diz homem que participou de homicídio de pastora e prima em Conquista

bahia
21.01.2016, 15:00:00
Atualizado: 21.01.2016, 17:43:27

"Elas só pediram por Deus", diz homem que participou de homicídio de pastora e prima em Conquista

Segundo acusado, vítimas não reagiram em nenhum momento

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

"Elas não esboçaram reação nenhuma, elas deitaram o tempo todo e só pediram por Deus". Esse é o relato de Adriano Silva dos Santos, 36, preso em Vitória da Conquista por participar da morte da pastora e professora da Universidade do Estado da Bahia (Uneb) Marcilene Oliveira Sampaio, 38 anos, e da sua prima Ana Cristina Santos Sampaio, 37.

De acordo com vídeos divulgados por blogs da região, Adriano disse que o crime foi planejado e executado pelo pastor Edmar Soares. Com as vítimas já rendidas em um matagal, Edmar teria buscado uma pedra para matá-las, encontrou um resto de construção e matou as duas.

 

Fábio e Adriano, presos por conta participação em morte e sequestro
(Foto: Reprodução)

O crime aconteceu na terça-feira (19). As investigações apontam que a motivação do homicídio seria uma vingança porque a pastora Marcilene estaria levando muitos fiéis da igreja do pastor Edmar. Os corpos das duas vítimas foram encontrados na estrada que liga Conquista a Barra do Choça.

Adriano confirma a versão do comparsa Fabio de que o mentor do crime, o pastor Edmar Santos, queria apenas assustar as vítimas. "Quando chegou lá Edmar mudou a história, que não podia deixar testemunha para não complicar ele depois e que iria matar a mulher. Quem matou foi Edmar", conta.

O esposo de Marilene, o pastor Carlos Eduardo de Souza, 50, também foi sequestrado e espancado. Ele foi conduzido no veículo Versa de propriedade de Fabio. Durante o trajeto, o marido da professora conseguiu provocar um acidente e fugir ferido. Edmar continua foragido. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas