'Ele não agrediu, não xingou', diz irmão de vítima de idoso no Dois de Julho

salvador
23.08.2021, 11:43:00
Atualizado: 23.08.2021, 11:44:50
Fachada do prédio em que Tzeu mora foi pichada (Arisson Marinho/CORREIO)

'Ele não agrediu, não xingou', diz irmão de vítima de idoso no Dois de Julho

Idoso de 98 anos diz que agiu para se defender após presenciar briga de casal

Welton Lopes Costa, 34 anos, não agrediu ou xingou o idoso que o matou com dois tiros no peito na tarde do domingo (22), no Largo Dois de Julho. Quem diz isso é o irmão da vítima, Welbert Lopes Costa, de 33 anos, que também presenciou o crime que acabou com a morte de Welton. 

"Meu irmão estava discutindo com a mulher dele, quando esse idoso puxou a mulher dele pelo braço e perguntou: 'Ele está mexendo com você?'. Nessa hora, meu irmão respondeu pra ele não se meter, que era um assunto de marido e mulher. Foi aí que esse senhor chamou o meu irmão e atirou", conta Welbert. 

Após os disparos, Welbert e outros moradores da região seguraram o idoso, para impedir que ele fugisse. Alguns tentaram linchar o atirador, mas a maioria conseguiu evitar. Uma equipe do 18º Batalhão da Polícia Militar foi até o local depois e levou o acusado, identificado como Tzeu, para a delegacia. 

"Depois fui perguntar a ele o porquê de ter atirado em meu irmão. Ele respondeu que meu irmão o desrespeitou. Mas o meu irmão não o agrediu, não o xingou, só pediu para não se envolver numa discussão de casal. Então, ele chegou, puxou a arma e deu três tiros", acrescenta o irmão da vítima. O terceiro tiro atingiu a mulher de Welton, Jennifer, no pé. Os dois foram socorridos ao Hospital Geral do Estado (HGE), mas Welton não resistiu.

Welbert estava na casa do irmão, também no Dois de Julho - juntos, celebravam o fato de Welton ter comprado um carro novo. Quando a esposa demorou a voltar para casa, e vendo os dois filhos com fome, Welton foi até o local de trabalho para buscá-la. Mas ao chegar lá, viu que a mulher já tinha saído e estava bebendo. Os dois começaram a discutir.

"Estamos todos arrasados. O que eu sei é que Welton foi buscar a mulher, que já tinha saindo do trabalho, mas estava num bar com uma amiga. Welton puxou ela pela camisa. Aí o assassino chegou e atirou na frente do meu filho", contou a ex-mulher da vítima, que preferiu não se identificar. Ela é mãe dos dois únicos filhos da vítima - uma menino 14 e uma menina de 8

O idoso acreditou presenciar uma cena de agressão e retirada à força. À polícia, ele disse ainda que foi agredido e por isso disparou. As testemunhas dizem que a lesão no braço do idoso aconteceu já depois do crime, quando ele foi cercado e algumas pessoas tentaram um linchamento. 

Além da mulher, Welton deixa dois filhos - um deles, de 14 anos, presenciou o crime. O enterro será às 16h30 de hoje no Campo Santo. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas