Eleitores que publicarem fotos com urnas nas redes sociais podem ser presos

Eleições
05.10.2014, 11:44:00
Atualizado: 05.10.2014, 11:45:29

Eleitores que publicarem fotos com urnas nas redes sociais podem ser presos

Mania das 'selfies' pode custar caro a eleitores, com pena de dois anos de prisão e multa de R$16 mil

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Foto: Reprodução/Instagram

A mania das 'selfies' tem tomado as redes sociais, mas durante as eleições, os 'aficionados' têm que se conter e não tirar foto com a urna eletrônica durante a votação, pois a imagem pode valer dois anos de prisão e multa de cerca de R$16 mil para quem for flagrado, segundo a legislação eleitoral.

Os autorretratos infringem o sigilo do voto, segundo o Código Eleitoral brasileiro e, ainda, podem ser considerados boca de urna virtual, caso a imagem seja publicada nas redes sociais. Boca de urna pode levar de seis meses a um ano de prisão, com alternativa de prestação de serviços comunitários pelo mesmo período, além de multa que pode variar entre R$ 5.320 e R$ 15.961,50.

As fotos podem ser usadas, ainda, para comprovar em quem a pessoa votou, por pressão ou troca de favores.

Recentemente, uma resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) determinou que máquinas fotográficas, filmadoras, equipamentos de radiotransmissão e telefones celulares sejam entregues ao mesário antes de ir à urna, sob pena de prisão e multa, caso o eleitor se recuse.

A resolução, porém, não tem sido respeitada pelos próprios mesários, que em diversas zonas eleitorais têm permitido que os eleitores levem consigo seus celulares na hora de selecionar seus candidatos.

Famosos e fotos
Na manhã deste domingo (5), a produtora e ex-mulher de Caetano Veloso, Paula Lavigne, publicou em seu Facebook e Instagram uma foto da urna eletrônica com a imagem do candidato que ia votar. "Cheguei para votar", dizia a publicação.

Foto: Reprodução/Facebook

A imagem recebeu, rapidamente, uma onda de comentários de usuários afirmando que ela estava cometendo um crime e, em seguida, a publicação foi removida das redes sociais da produtora.

A atriz Flávia Monteiro, conhecida por interpretar Carolina em Chiquititas, também desrespeitou a lei, publicando a foto de uma urna eleitoral em seu Instagram. Ela apagou a imagem logo depois.

Foto: Reprodução/Instagram

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas