Em duas semanas, Baianão já teve três jogos suspensos por covid-19

esportes
02.03.2021, 17:22:00
Atualizado: 02.03.2021, 18:47:50

Em duas semanas, Baianão já teve três jogos suspensos por covid-19

Vitória x Jacuipense, que seria disputado quarta-feira, ganhará outra data

O Campeonato Baiano começou há exatos 13 dias, em 17 de fevereiro, e já teve três jogos suspensos, todos em função de surtos de covid-19. O Brasil atravessa o momento mais crítico da pandemia e os centros de treinamento de futebol não estão ilesos. Somente na Bahia mais de 12 mil pessoas já morreram vítimas da doença.

A partida entre Vitória e Jacuipense, válida pela 4ª rodada do estadual, seria disputada na quarta-feira (3), às 16h, no Barradão, mas precisou ser adiada, pois o Leão do Sisal não conta com o número mínimo de 13 jogadores disponíveis estabelecido pelo regulamento para que haja a realização do confronto.

A testagem para diagnosticar covid-19 é realizada pelos clubes, e o controle é feito pela Federação Bahiana de Futebol (FBF) através de equipe médica. Os exames têm validade de sete dias.

O surto da vez assustou o presidente do Jacuipense, Gegê Magalhães. "A gente já tinha um pouco da experiência do ano passado, em que conviveu com isso em parte do Campeonato Baiano e na Série C do Brasileiro, mas teve agora uma quantidade que a gente nunca teve. Sempre teve um, dois, três, mas nunca um alarde, nunca mais de três ou quatro jogadores de vez. Dessa vez realmente foi um surto grande", comenta o dirigente, que não revelou o número de jogadores e funcionários infectados. O elenco conta com 34 atletas. 

"Nos assustou muito e serve de alerta a todos. Já tivemos desinfecção nos alojamentos, no centro de treinamento e um cuidado ainda maior com a higienização. A gente já tinha esse cuidado, mas agora está redobrado", afirma Gegê Magalhães.

Além de Vitória x Jacuipense, outros dois jogos ainda precisam ser reagendados. O surto de covid-19 no elenco do Leão do Sisal foi identificado na última sexta-feira (26), o que fez com que a partida contra a Juazeirense, válida pela 3ª rodada e inicialmente marcada para dia 28 de fevereiro, em Pituaçu, também fosse suspensa. Antes, na 2ª rodada, o Vitória da Conquista também encarou um surto da doença e não pôde encarar o Vitória, no Barradão. 

"A gente tem que ter muita tranquilidade nesse momento. Sabemos que, pelo momento que o país vive, nós corríamos esse risco, só que eu vou pensar sempre pelo lado positivo de que estamos conseguindo efetuar o controle e temos a coragem de fazer a suspensão das partidas para que ninguém venha a sofrer nenhum dano e a vida seja sempre colocada em primeiro lugar", diz o presidente da FBF, Ricardo Lima.

"Lógico que a gente está falando a todo momento com os clubes, mas temos que seguir. O calendário está apertado e nós vamos ter que equacionar todo esse processo lá na frente, tentar fazer algum tipo de conciliação com os jogos que envolvem nossos participantes em competições nacionais e seguir. No nosso campeonato já é o terceiro jogo. A gente espera que o controle permaneça, que a gente possa detectar e, se assim acontecer, cancelaremos tantos outros", completa. 

O presidente da FBF admite que a remarcação das partidas suspensas pode fazer com que o estadual termine após a data prevista. O segundo jogo da final está agendado para 23 de maio. No fim de semana seguinte já começa o Campeonato Brasileiro.

"Nós não temos as datas ainda. Vamos precisar fazer uma adequação junto aos clubes, a liberação de algumas datas junto à CBF e acompanhar o desempenho dos nossos filiados, principalmente o Vitória, nas competições das quais ele está participando, seja o regional ou a Copa do Brasil. Se tivermos que empurrar o término da competição para uma outra data, a gente vai ter que fazer. O fato é que essas rodadas que estão sendo adiadas precisam todas ser encerradas antes da primeira fase", detalha Ricardo Lima, que, ao menos no momento, não cogita paralisação do campeonato. 

"A gente vai trabalhar sempre em acordo com as prefeituras municipais, com o governo do estado. Contra a ciência nós não temos o que divergir. Se eles entenderem que existe uma outra situação para que seja suspenso, nós vamos dialogar e, se preciso for, suspender. A gente fala e trabalha com o futebol. A ciência, a gente deixa por conta dos órgãos competentes".

Mudança de planos no Vitória
O Vitória entraria em campo diante do Jacuipense com um time reserva, por causa da partida contra o Ceará pela segunda rodada da Copa do Nordeste, que será disputada no sábado (6), às 16h, no Castelão, em Fortaleza.

O técnico Rodrigo Chagas já tinha sinalizado que pouparia os principais atletas e mandaria a campo no estadual uma equipe formada basicamente por jogadores revelados nas categorias de base. Dos titulares, apenas o zagueiro João Victor e o volante Gabriel Bispo seriam mantidos. 

O elenco rubro-negro havia finalizado a preparação nesta terça-feira e a concentração seria iniciada em seguida, mas, como a diretoria foi comunicada do adiamento no final da manhã, os jogadores foram dispensados após a atividade. 

“Lamento, porque pretendia aproveitar o jogo para fazer algumas mudanças no time, privilegiando alguns garotos que ainda não tiveram oportunidade de jogar”, afirmou Rodrigo Chagas ao site oficial do Vitória, após saber da decisão da FBF. 

Como não haverá jogo quarta-feira, o elenco do Leão treinará no turno da manhã. Serão três treinamentos focados no duelo com o Ceará até a viagem para Fortaleza na sexta-feira à tarde. 

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas