Empresário vai pagar a multa para tirar Marinho do Vitória, revela presidente

e.c. vitória
06.01.2017, 17:05:00
Atualizado: 06.01.2017, 17:31:33

Empresário vai pagar a multa para tirar Marinho do Vitória, revela presidente

Atacante recebeu proposta sedutora da China e quer sair, mas diretoria rubro-negra recusou por ser abaixo da multa rescisória

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Marinho se despediu do clube antes da negociação ser concretizada (Foto: Evandro Veiga/CORREIO)


Um dia após a diretoria do Vitória reafirmar que Marinho só sairá da Toca do Leão caso algum clube pague o valor integral da multa rescisória, o empresário do atacante, Jorge Machado, garantiu que isso acontecerá. Nesse caso, o Vitória será obrigado a liberar o jogador, que recebeu uma proposta considerada "surreal" do futebol chinês.

A novidade foi relatada pelo presidente Ivã de Almeida nesta sexta-feira (6), durante a apresentação do meia Dátolo. “O Vitória colocou a posição de que a saída é mediante pagamento da multa do contrato. O empresário dele, Jorge Machado, se colocou à disposição para efetuar o pagamento. Enquanto isso não ocorrer, ele é nosso jogador. Espero que nessa semana venha a transcorrer a questão burocrática, que é de documentação, pagamento”, disse o presidente.

Agente de Marinho, Jorge Machado não atendeu a ligação do CORREIO, porém apresentou a mesma versão contada pelo dirigente rubro-negro ao responder o comentário de uma torcedora em uma foto publicada por Marinho no Instagram. No comentário, ele só não detalhou quem irá pagar a multa, se ele ou o clube chinês. “O Vitória vai receber o valor da multa. Não fala o que você não sabe”, disse Machado à torcedora que tinha questionado “Por que vocês entendem que o Vitória tem que abrir mão de milhões, sendo que o clube investiu na sua compra e em seus salários?”.

O valor da multa rescisória é de 5 milhões de euros (R$ 17 milhões aproximadamente), sendo que o Vitória tem 50% dos direitos econômicos e ficará com cerca de R$ 8,5 milhões.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas