Escola é acusada de racismo após comunicado pedindo 'cabelo liso'

brasil
03.12.2015, 18:16:00
Atualizado: 03.12.2015, 18:17:24

Escola é acusada de racismo após comunicado pedindo 'cabelo liso'

Comunicado pedia que meninas fossem para apresentação de Natal com os cabelos lisos soltos

Uma escola localizada no bairro de Jardim Vergueiro, na capital de São Paulo, foi bastante criticada após enviar um comunicado aos pais pedindo que as alunas fossem para a apresentação de Natal com os cabelos lisos soltos, para fazer com que o evento "ficasse ainda mais bonito".

Para mostrar como deveria ser o penteado, foi usada uma foto da atriz mirim Larissa Manoela, famosa por papéis em novelas infantis como 'Carrossel', no SBT. Na trama, a personagem Maria Joaquina xingava constantemente o colega de classe Cirilo (Jean Paulo Campos), que era negro, pobre e apaixonado pela menina.

(Foto: Reprodução)

Críticas
Algumas pessoas ligadas a alunos da escola, a Associação Cedro do Líbano de Proteção à Infância, divulgaram o comunicado na internet. A imagem foi publicado também pela página Levante Negro, onde chegou a quase 15 mil compartilhamentos. 

Os internautas ficaram revoltados com o pedido e acusaram a escola de racismo, afirmando que ela estaria ainda destruindo a autoestima de meninas com cabelos cacheados ou crespos. "Só um detalhe irônico, ainda usaram a Maria Joaquina como modelo, personagem que, se eu me lembro bem, é racista", disse o internauta Diego Vince.

"Esse 'padrão' é exatamente o que vai fazer muitas meninas se sentirem mal por não conseguirem puxar o cabelo da forma que a professora PRECONCEITUOSA E INTELECTUALMENTE ATRASADA quer", disse outra usuária.

"Sério que tem gente defendendo isso e achando que fazer chapinha na criança é uma solução?", reclamou Fábio Marques.

Polêmica
Após a grande repercussão, a escola divulgou um comunicado em seu site, afirmando que foi um mal entendido, um erro individual de um funcionário sem a autorização da direção. Em nota, a instituição disse ainda que as medidas administrativas já estão sendo tomadas. 

"Questões de diversidade cultural, racial e religiosa fazem parte do plano de trabalho da escola, com autorização e acompanhamento da Diretoria Regional de Educação". Leia, na íntegra, a nota:

"São Paulo, 01 de dezembro de 2015

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A Associação Cedro do Líbano de Proteção à Infância vem por meio desta nota esclarecer que todas as questões de diversidade, racial e religiosa estão contempladas no Plano de Trabalho da Associação, Plano este acompanhado e autorizado pela Supervisão de Ensino da Diretoria Regional de Educação.

O procedimento equivocado e individual de um funcionário sem a autorização da Direção (o qual as medidas administrativas já estão sendo tomadas), não pode representar a imagem de todo um trabalho voluntário de 68 anos a favor da igualdade e contra qualquer tipo e forma de preconceito.

Citamos ainda que recentemente foi implantado pela Prefeitura Municipal de São Paulo os Indicadores de Qualidade de Educação, onde esta instituição foi muito bem avaliada pela comunidade e pais de alunos, e o mesmo é objeto de formação na Educação das nossas crianças".

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas