Espanha das arábias: turismo em Córdoba mistura Roma antiga e califado

bazar
16.08.2018, 07:00:00
Atualizado: 16.08.2018, 12:40:34

Espanha das arábias: turismo em Córdoba mistura Roma antiga e califado

Córdoba, na Andaluzia, tem ruínas romanas, influência árabe na comida e na arquitetura e pátios dignos de filme

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

À beira do rio Guadalquivir fica uma das joias da Andaluzia, região do sul da Espanha marcada pelas heranças da presença árabe na Península Ibérica. Com pouco mais de 300 mil habitantes, é mais pacata que as vizinhas famosas Sevilha e Málaga.

Fundada em 169 a.C, foi capital da Hispania Ulterior, parte da República Romana. Também foi sede do Califado de Córdoba. Achados arqueológicos indicam que chegou a ter um milhão de habitantes no século 10.

A Mesquita-Catedral de Córdoba é um dos exemplos da mistura das culturas cristã e árabe em Córdoba (Foto: Victor Villarpando)

Cadastre seu e-mail e receba novidades de gastronomia, turismo, moda, beleza, decoração, pets, tecnologia, bem-estar, sexo e o melhor de Salvador e da Bahia, toda semana:

Hoje está no mapa do turismo pela arquitetura e por monumentos históricos. É dona da mais impressionante Mesquita-Catedral da região. Ostenta um centro histórico que parece cenário de filme de época e foi declarado Patrimônio da Humanidade pela Unesco em 1994, dez anos depois da Mesquita ganhar o mesmo título.

A cidade tem longa tradição de enfeitar os pátios das casas: um mais lindo que o outro (Foto: Reprodução/Instagram)

A Festa dos Pátios Cordobeses acontece desde 1921 e é Patrimônio Imaterial da Humanidade (Unesco). Mobiliza não só as praças, mas os interiores de casas, que ficam abertas a visitação e disputam o título de melhor do ano. Confira o que vimos de melhor por lá.

Córdoba também é conhecida pelo artesanato coloridíssimo (Foto: Victor Villarpando)

Mesquita
Patrimônio da Humanidade desde 1984, a Mesquita-Catedral de Córdoba é, no mínimo, impressionante. Os portões imensos escondem um passado magnífico. Trata-se do mais importante monumento do chamado ocidente Islâmico. Mistura os estilos mudejar, gótico, renascentista e barroco. O que inicialmente era um tempo visigodo, foi coberto pela Mesquita durante a invasão árabe da Península Ibérica.

A Mesquita-Catedral de Córdoba (Foto: Victor Villarpando)

Depois que os reis cristãos conseguiram expulsar os mouros, construiram a Catedral por cima da antiga Mesquita, preservando muitos elementos que estavam por lá, como muxarabis, colunas e as icônicas arcadas bicolores. O lugar é bem grande e cheio de coisas a se observar. Recomendo cerca de três horas para dar tempo de fazer tudo. Funciona de segunda a sábado, de 10h às 19h. Domingo vai de 08h30 à 11:30 e das 15h às 19h. O ingresso custa €10.

Alcázar de los Reyes Cristianos
Fortaleza e palácio tem desde ruínas romanas e visigodas até resquícios da presença árabe. O edifício era parte do Palácio Califal e, quando fio tomado pelo rei católico Fernando 3º, em 1236, estava em ruínas. Já foi sede do Santo Ofício (Inquisição) e prisão até a primeira metade do século 19. Os muros de pedra são imensos e quatro torres marcam os ângulos do edifício retangular.

O Alcázar de los Reyes Cristianos (Foto: Divulgação)

Dentro, segue o padrão de pátios típico das mansões da região, com direito a jardins niternos com flores e pés de laranja. Ainda lá dentro tem um sarcófago pagão do século 3 e uma capela barroca que divide espaço com mosaicos romanos. Os jardins externos, também cheios de flores e laranjas, são incríveis. Perfeitos para piquenique. De terça a sexta, de 8h30 às 20h45. Sábado de 8h30 às 16h30. Domingo de 8h30 às 14h30. O ingresso custa €4,50.

Vista do alto do Alcázar (Foto: Victor Villarpando)

Pátios
Por conta do calor que faz em Córdoba - e na Andaluzia em geral, onde os termômetros chegam a marcar 48 graus no Verão -, as casas antigas costumam ter pátios com fontes no centro e um poço para recolher água da chuva.

Para aumentar a sensação de frescor, muitas ainda tinham enormes jardins. Era em torno deles que se organizavam quartos, sala e cozinha. O negócio é tão típico (e bonito), que desde 1921 tem um concurso para eleger o mais bonito da cidade. As pessoas enfeitam e abrem suas casas para visitação. É incrível. Acontece todo ano, na primeira quinzena de maio. Mas alguns pátios ficam abertos durante todo o ano.

Mais um pátio de Córdoba (Foto: Reprodução/Instagram)

No site puertadelospatios.com tem a lista completa de pátios visitáveis em Córdoba. Ainda nesse quesito, o Palácio de Viana se destaca por ter doze pátios.

Hammam Al Andalus
É um SPA inspirado nas antigas casas de banho árabes. O de Córdoba fica num prédio antigo lindíssimo. A experiência, que engloba banhos em águas quentíssimas, mornas e geladas, é incrível. E fica ainda melhor acompanha de massagem.

Um dos salões do Hammam Al Andalus (Foto: Victor Villarpando)

Os preços começam em €28 e, com a massagem de de meia hora fica por €55. As opções mais incrementadas chegam a bater nos €420. Fica na Calle Corregidor Luis de la Cerda, 51. É preciso reservar por telefone antes.

Ponte Romana
A ponte que cruza o Rio Guadalquivir e fica na frente das ruínas romanas no Paseo de la Ribera (que, por sua vez, ficam bem perto da Mesquita), tem mais de 2000 anos, período no qual foi a única da cidade. Foi construída no século 1, durante a época de dominação romana em Córdoba, e teve sua última grande reforma em 2008.

A decoração no Hammam Al Andalus é toda trabalhada na influência árabe (Foto: Victor Villarpando)

Tem 331 metros de comprimento e 16 arcos. Era o principal meio de entrada na cidade antiga de quem vinha do sul da Península Ibérica. Especula-se que a Vía Augusta, que ia de Roma até Cádiz passava por ela. Passou por várias reconstruções, especialmente durante a época califal.

O Salon de Té funciona no térreo de um casarão antigo (Foto: Victor Villarpando)

Salon de Té
Casa de chá no estilo árabe. Funciona no pátio e arredores de uma casa antiga, com um poço ao centro. Super aconchegante, é um ótimo lugar para recarregar as energias, recarregar o celular e fazer umas selfies.

Baba Ganoush e docinhos árabes são especialidades do Salon de Té (Foto: Victor Villarpando)

A carta de sabores é enorme e tem opções como Flor de lotus, jasmin e rosas; Chá preto com cardamomo; e Sueños de la Alhambra (cítricos, mel, violeta, rosas e canela). A chaleira pequena custa €3,30, a media €5 e a grande €6,50. Para comer, tem falafel por €6 e uma porção de docinhos árabes sensacionais por €6,50 (o nome, no cardápio, é pasteles).

Fica na Calle Buen Pastor, 13, perto da Mesquita. Na região tem diversas lojas de cerâmicas e lembrancinhas, onde dá pra comprar pratos incríveis pintados a mão.

Taberna Salinas
Aberto desde 1879, é um restaurante típico cordobês. Bem frequentado pelos locais, dentro dele não se houve outro idioma além do espanhol. Simples e bem aconchegante, serve comidas deliciosas.

A Taberna Salinas tem ambiente familiar e comida gostosa com preços acessíveis (Foto: Victor Villarpando)

Bons vinhos a preços amigáveis também. De comer, destaco as berinjelas empanadas com melaço de cana (são fabulosas). Depois, outras comidas tradicionais, como ajo blanco (uma sopa de alho com uvas passas), laranjas picadas com bacalhau cru e azeite, chorizo da la sartén (um enchido artesanal) e as supercrocantes croquetas de espinacas com piñones.

As berinjelas empanadas com melaço de cana são absolutamente imperdíveis (Foto: Victor Villarpando)

O preço da imensa maioria dos pratos é €7,95 euros. Cada um satisfaz bem uma pessoa. O ideal é ir de galera e pedir vários, para provar de tudo um pouco. Funciona de segunda a sábado, de 12h30 às 16h e de 20h às 23h30. Fecha aos domingos. Fica na Calle tundidores, 3.

Se situe
Onde ficar
O centro antigo de Córdoba parece cenário de filme de época. As principais atrações ficam lá, há 10 minutos de caminhada. Éramos cinco pessoas e alugamos ficamos no Apartamentos Turísticos Embrujo de Azahar. Lugar simples, confortável e com ótimo preço: foi 21 euros por dia para cada.

O Embrujo de Azahar é simples e bem bonitinho

Como chegar
De Salvador direto para Madri, a Air Europa tem voos em quase todo dia. O trajeto dura menos de 9 horas. Da capital espanhola, há 124 opções de horários para ir de trem, saindo da estação Puerta de Atocha para a Central de Córdoba.

A viagem demora cerca de 1h50 e passa rápido se você cochilar ou usar o wifi para navegar na internet. Para quem vai para outras cidades perto, tipo um rolé na Andaluzia, o que eu super-recomendo, um passe de trem da Eurail pode valer a pena para economizar com os bilhetes.

Visto
Brasileiros não precisam de visto para a União Europeia. Apenas passam por uma entrevista com a polícia no aeroporto de chegada. É bom levar a passagem de volta e comprovantes de hospedagem.

Moeda
Um euro (€) estava custando, até o fechamento desta reportagem, cerca de R$ 4,60 nas casas de câmbio contactadas.

Siga o Bazar nas redes sociais e saiba das novidades de gastronomia, turismo, moda, beleza, decoração, tecnologia, pets, bem-estar e as melhores coisas de Salvador e da Bahia:

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas