Espetáculo A Última Virgem fala de sexualidade e repressão

entretenimento
09.08.2018, 12:40:00
(Foto: /Divulgação)

Espetáculo A Última Virgem fala de sexualidade e repressão

Peça é versão repaginada do espetáculo Os Sete Gatinhos, de Nelson Rodrigues

Em momentos como o que vivemos, o jornalismo sério ganha ainda mais relevância. Precisamos um do outro para atravessar essa tempestade. Se puder, apoie nosso trabalho e assine o Jornal Correio por apenas R$ 5,94/mês.

Situações trágicas e patéticas servem para a formulação de críticas sociais no espetáculo A Última Virgem: a Divina Comédia de Nelson Rodrigues, que entra em cartaz amanhã, no Teatro Vila Velha. A trama apresenta quatro irmãs que, não casadas, se prostituem para dar à caçula um casamento ‘de princesa’.  

Com produção do grupo Teatro dos Novos e direção de Celso Jr., o espetáculo faz uma releitura do texto Os Sete Gatinhos, de Nelson Rodrigues (1912- 1980). Datado de 1958, o texto fala de temas como incesto, violência doméstica e agressão contra a mulher são abordados. 

O nome diferente foi um subtítulo pensado pelo próprio Nelson quando da montagem original, já que associavam muito o título anterior a uma peça infantil. Quem conta a história é o apresentador Jô Soares, que dirigiu a primeira montagem, em 1969.

Na trama, a irmã mais velha, Aurora, se prostitui nas horas vagas, e mantém um emprego numa repartição pública; Arlete tem nojo de homens e se refugia na homossexualidade como resposta à sua situação; Débora vive arranjando mulher pra homens idosos; e a silenciosa Hilda é médium espírita.

A montagem traz, em cada caso, uma analogia para o mundo contemporâneo e suas problemáticas atuais, como a colocação da mulher como objeto. No choque desse entrelace familiar polêmico e o mundo lá fora, porém, resultados explosivos podem acontecer.

No elenco, estão os atores Luiz Pepeu, Fernanda Paquelet, Isabela Silveira, Adriana Leite, Beatriz Almeida, Camila Castro, Igor Nascimento, Thauan Peralva Vivas, Tiago Querino e as participações especiais de Newton Olivieri e Vinícius Bustani. A iluminação é de João Sanches e a trilha sonora de Celso Jr.


SERVIÇO
Teatro Vila Velha (Passeio Público).
Quinta a sábado, às 20h; e domingo, às 19h.
Ingressos: Hoje: R$ 20 | R$ 10. Sexta a domingo: R$ 30 | R$ 15.

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o CORREIO continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Colabore para que nossa equipe de jornalistas seja mantida para entregar a você e todos os baianos conteúdo profissional. Assine o jornal.


Relacionadas